compartilhar

PESQUISA: Grande Brasília fecha 2016 com 302 mil desempregados; alta é de 4,1 por cento

Dos moradores, 18,6% buscavam emprego. Renda média foi reduzida em 4,4% para assalariados e 5,7% para autônomos. Dados são da Secretaria de Trabalho.

O desemprego no Distrito Federal cresceu 4,1% em 2016, segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego divulgada nesta quarta-feira (25) pela Secretaria de Trabalho.

 

No total, foram estimados 302 mil desempregados no Plano Piloto e cidades-satélites em dezembro de 2016. O percentual de moradores que buscam uma ocupação profissional passou de 14,5% em dezembro de 2015 para 18,6% no mesmo mês do ano seguinte.


Ainda que 8 mil trabalhadores do Distrito Federal tenham entrado para o mercado formal com carteira assinada, o nível de renda média caiu 12% entre os ocupados (não necessariamente regularizados), 4,4% para os assalariados e de 5,7% para os autônomos.


De acordo com os dados, em um ano, 84 mil pessoas passaram a fazer parte do contingente de desempregados – ou porque não conseguiram encontrar um emprego ou porque perderam a ocupação que tinham.


Um dos principais fatores do aumento na desocupação na Grande Brasília se deve à diminuição na contratação da administração pública. Segundo a pesquisa, o setor reduziu em 13,9% seu contingente de funcionários.Resultado de imagem para desempregados

O setor privado, porém, apresentou resultados positivos nas contratações das áreas de indústria de transformação (20,5%), construção (6,3%), comércio (1,3%) e serviços (1%).

 

Assim como também aumentou em 6 mil o número de empregados domésticos.


A Pesquisa de Emprego e Desemprego é coordenada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em parceria com a Secretaria de Trabalho e a Fundação Seade.

 

Fonte: *Via G1/Sec.Trab.GDF//Clipping

COMENTÁRIOS