compartilhar

ESPERANÇA DE MAIS ÁGUA: Chuva forte e frequente em Brasília deve cair em fevereiro

Previsão é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A meteorologista Ingrid Monteiro afirma que o La Niña, fenômeno oposto ao El Niño, passará a influenciar o tempo no Distrito Federal

                      Volume de chuva registrado em janeiro foi 48% menor do que a média histórica


O volume de chuva registrado no Distrito Federal em janeiro foi 48% inferior à média histórica para o período, informou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Desde o começo do ano, choveu apenas 128,7 mm – o que representa só 52% da média, de 247,4 mm de precipitação.


De acordo com a meteorologista Ingrid Monteiro, a Grande Brasília ainda sofre influência dos efeitos do El Niño, fenômeno climático registrado entre novembro de 2014 e abril de 2016.

O El Niño é o superaquecimento da água do pacífico, que impede a formação de nuvens na região Centro-Oeste do Brasil e provoca a estiagem.

Chuva em fevereiro

Mesmo depois de meses sem o fenômeno, a meteorologista diz que o DF ainda é afetado porque as mudanças na atmosfera são demoradas. Segundo ela, no entanto, a perspectiva para os próximos dias é boa porque o Distrito Federal sofre agora influência de outro fenômeno, oposto ao anterior, chamado La Niña.


La Niña provoca o resfriamento do Oceano Pacífico e aumenta a frequência das chuvas na área central do país. “Se tudo correr como o previsto, a partir da primeira quinzena de fevereiro, a chuva poderá ser mais forte e frequente no Distrito Federal, por causa do La Niña”, disse a especialista.

Quarta-feira (25), o governo do DF decretou situação de emergência por causa da crise hídrica. O volume baixo de chuvas é um dos motivos que justificam a medida, válida por 180 dias. Com isso, o GDF pode fazer compras sem licitação e barganhar repasse de verba federal.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS