compartilhar

APREENSÃO DO CARRÃO: PM compra Mercedes que foi apreendida em Brasília por suspeita de roubo

Policial pagou para trazer veículo da Paraíba e, ao pegar o automóvel, descobriu que ele foi usado em um assalto após chegar aqui

O Policial Militar Rodrigo Campos, 31 anos, está há quase dois meses com o carro apreendido na Polícia Civil. Isso porque, em 3 de dezembro do ano passado, o veículo que ele adquiriu em João Pessoa (PB) foi usado em um roubo a posto de combustíveis no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), mas o agente só o pegou o automóvel com a transportadora no dia 8 de dezembro. 


Rodrigo contratou a transportadora para trazer o carro de João Pessoa à Brasília em 17 de novembro. No dia 7 de dezembro, a empresa informou que o carro havia acabado de chegar à capital federal.


No dia seguinte, ao buscar a Mercedes A200, o PM notou que os bancos do carro estavam muito sujos e que havia marcas de arranhões na lataria e pára-choque, além de 549 km a mais do que havia sido registrado na vistoria ainda na Paraíba. Rodrigo não assinou a vistoria de entrega e fez um orçamento para a transportadora ressarcir o prejuízo. 

 

Dois dias após a entrega, o policial diz que passou por outro constrangimento. “Ao sair de minha casa com o carro para um casamento, fui abordado por uma viatura da policia militar. Os policiais informaram que o meu veiculo estava envolvido em um assalto a comércio. Nesse momento, fui conduzido à delegacia”, conta. 


Após apresentar a documentação que não estava com o veículo na data do roubo, Rodrigo foi liberado, mas o carro permaneceu apreendido.

 

Uma das possibilidades é que o carro tenha sido clonado. Mas isso só a perícia da Polícia Civil vai pode dizer. 

 

Fonte: *Via Alô/Clipping

COMENTÁRIOS