compartilhar

REPAROS PONTUAIS: Estádios de futebol da Grande Brasília preparam-se para o Candangão

Campeonato começa neste sábado (4) e no domingo (5), com jogos no Abadião, no Mané Garrincha e no Bezerrão

R$ 1.525.930,19




Custo para manter e colocar o gramado dos Estádios Augustinho Lima, JK, Rorizão e Serejão => R$ 1.525.930,19

Três estádios da Grande Brasília recebem neste fim de semana jogos de abertura da 42ª edição do Campeonato de Futebol Profissional da Primeira Divisão do Distrito Federal, o Candangão.

Para isso, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, eles passam por vistorias das forças de segurança desde o início de janeiro.

No Gama, com estrutura própria, a administração regional empregou esforços no plano de manejo do gramado do Estádio Walmir Campelo Bezerra (Bezerrão), que recebe Gama e Taguatinga, no domingo (5), às 16 horas.
No Gama, com estrutura própria, a administração regional empregou esforços no plano de manejo do gramado do Estádio Walmir Campelo Bezerra (Bezerrão), que recebe Gama e Taguatinga, no domingo (5), às 16 horas.

Os pedidos para inspeção partem da Federação de Futebol do DF ou dos clubes com pelo menos dez dias de antecedência do evento.

Com base nas solicitações, a Defesa Civil, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a Vigilância Sanitária são demandados para visitar o local.

 

Durante a atuação são verificadas as questões estruturais do local, a qualidade e a situação das instalações elétricas e hidráulicas, a existência de habite-se ou licenciamento eventual, além das questões de segurança para o patrimônio e para o cidadão.

 

“Os três estádios visitados apresentaram condições para realização dos jogos”, destaca o major do Corpo de Bombeiros Sinfrônio Lopes, coordenador de operações da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social. “Nossas praças esportivas comportam as disputas do nosso futebol, basta que se adequem minimamente às exigências do Estatuto do Torcedor”, completa.

Arenas receberam investimentos

O Maria de Lourdes Abadia (Abadião), em Ceilândia, onde Ceilândia e Real jogam no sábado (4), às 16 horas, passou por reforma em 2016. Em junho, teve o sistema de irrigação automática do gramado inaugurado, no valor de R$ 67.667,71, recurso vindo de emendas parlamentares.

Depois dos treinos da Seleção Brasileira de Futebol para a disputa da Olimpíada no Rio de Janeiro em 2016, o estádio foi fechado. Desde então, recebe melhorias pontuais, feitas pela própria administração regional. No domingo (5), às 16 horas, o Abadião abriga a disputa entre Brasiliense e Formosa.

Também no domingo, às 11 horas, Brasília e Sobradinho se enfrentam no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no Plano Piloto. Na arena que sediou dez partidas de futebol olímpico em 2016, a manutenção do gramado é feita pela GreenLeaf Serviços S.A. desde a assinatura do contrato de um ano em abril de 2016, no valor total de R$ 775.101, com investimento da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

No domingo, às 11 horas, Brasília e Sobradinho se enfrentam no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no Plano Piloto. Foto: Andre Borges/Agência Brasília- 16.3.2015
No domingo, às 11 horas, Brasília e Sobradinho se enfrentam no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no Plano Piloto. 

A Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer destaca que o Mané Garrincha também será palco dos dois jogos da final do Candangão, em 29 de abril e em 6 de maio. A pasta ainda negocia com o Clube de Regatas do Flamengo a vinda da equipe carioca a Brasília para disputas dos Campeonatos da Primeira Liga e do Estadual do Rio de Janeiro.

No Gama, com estrutura própria, a administração regional empregou esforços no plano de manejo do gramado do Estádio Walmir Campelo Bezerra (Bezerrão), que recebe Gama e Taguatinga, no domingo (5), às 16 horas. Foram corrigidos buracos e feitos corte, adubação e nivelamento com areia no campo. Para cuidados no local, a Secretaria do Esporte tem contrato até junho deste ano com a Garden Center Jardins Ltda., no montante de R$ 213.309,96.

O presidente da Federação de Futebol do DF, Erivaldo Alves, adianta que, depois da segunda rodada do Candangão, outros estádios podem compor a tabela no decorrer do campeonato. “Vamos adequar a programação à medida que os espaços forem liberados”, destaca o dirigente.

Mais quatro estádios do DF receberão melhorias no gramado

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) fará o plantio de novos gramados em quatro estádios do Distrito Federal: o Augustinho Lima, em Sobradinho; o Joaquim Domingos Roriz, em Samambaia; o Elmo Serejo Farias, em Taguatinga; e o JK Paranoá, no Paranoá.

No estádio de Sobradinho, a obra já está em fase de nivelamento da terra. A grama a ser plantada é a do tipo bermuda. O local pode receber jogos em 45 dias após o término da instalação. O gramado antigo do campo é replantado na pista de motocross vizinha. O valor do investimento é de R$ 313.621,72.

 

As intervenções nos outros estádios estão previstas para se iniciarem ainda em fevereiro, com remoção do gramado e tratamento do local para receber a nova grama. Por 90 dias após concluída a instalação, as empresas vencedoras do processo licitatório farão a manutenção, como o corte, adubação e controle fitossanitário. No Rorizão, o investimento é de R$ 438.500; no Serejão, R$ 374.008,47; e no JK, R$ 399.800. O dinheiro, inclusive no caso do Augustinho Lima, vem de emendas parlamentares e de recursos próprios do governo.

Cave passa por adequações no projeto

O Antônio Otoni Filho, mais conhecido como Estádio do Cave (Centro Administrativo Vivencial e Esporte), no Guará, está com as obras paralisadas para adequações do projeto dos vestiários e finalização do processo financeiro, informa a Novacap. A previsão é que a Construteq Construções retome os trabalhos ainda em fevereiro.

 

Entre os serviços já executados está o plantio do gramado, que custou R$ 149.392,46, cerca de R$ 80 mil abaixo do previsto no projeto inicial. A redução do valor se deve à troca da especificação técnica para a grama bermuda, que atendia à urgência dos serviços na época dos Jogos Olímpicos.

O valor total da reforma é de R$ 7.191.201,70, sendo 86% desse total custeado pelo governo federal, por meio do Ministério do Esporte, e o restante vindo como contrapartida do Executivo local.

 

COMENTÁRIOS