compartilhar

OPERAÇÕES PLÁSTICAS: Hospital Regional de Taguatinga já oferece cirurgias reconstrutivas

Novo serviço pretende realizar até 8 cirurgias por mês no HRT

Desde o início de fevereiro o Hospital Regional de Taguatinga ganhou um novo e importante serviço – o Programa de Cirurgias Plásticas do HRT, que vai atender pacientes com necessidades de intervenções cirúrgicas reconstrutivas, especialmente nos casos de câncer de mama, câncer de pele e "feridas complexas".

 

A criação do projeto também foi estimulada em função do alto índice de cirurgias de reconstrução de mamas realizado pela unidade durante o último outubro rosa, o mais elevado em toda a rede pública.

 

Com a implantação do programa, o HRT passa a compor, ao lado do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) e de Sobradinho (HRS), as unidades que oferecem cirurgias plásticas reconstrutivas na rede pública da Grande Brasília.

 

"O projeto é de grande relevância, pois contribuirá para a redução da lista de espera nessa área", afirma Isabelle Montanha Barbosa, cirurgiã plástica que integra o serviço recém-criado.

 

É o caso da dona de casa Lúcia Soares Torres – a primeira usuária beneficiada pelo programa, que aguardava uma cirurgia reconstrutiva para retirada do excesso de pele decorrente de uma cirurgia bariátrica, feita há 3 anos. "Depois da consulta no ambulatório do HRT fui encaminhada para a operação, que também incluiu a retirada de duas hérnias na virilha. Agora minha vida virou outra, pois eu mal conseguia levantar da cama. Fui muito bem atendida e agora espero uma nova vida", comemora.

 

O programa conta inicialmente com dois médicos cirurgiões, mas, em breve, deverá ser integrado por outros dois profissionais. Ainda recebe o apoio dos médicos residentes do setor de cirurgia geral e mastologia do HRT e o imprescindível suporte operacional do Centro Cirúrgico do Hospital de Samambaia, que também faz parte da Região de Saúde Sudoeste.

 

 

"A nossa meta inicial é realizar oito cirurgias e 24 procedimentos ambulatoriais mensalmente, atendendo usuários da Região Sudoeste e a demanda proveniente do pronto-socorro", esclarece Isabelle Barbosa, que afirma estar realizando um sonho com a oferta do novo serviço, "pois foi aqui no hospital que fiz a minha residência médica em cirurgia geral", diz, com indisfarçável orgulho.

 

COMENTÁRIOS