compartilhar

PERDA DO CARGO: Policial civil é demitido 16 anos após cometer crime

Policial foi condenado por extorsão, improbidade e corrupção por crime praticado em 2000. Sentença do Tribunal de Justiça foi proferida em 2014, mas demissão foi publicada nesta terça do Diário Oficial.

Condenado por extorsão, improbidade administrativa e corrupção, um policial civil do Distrito Federal teve a perda do cargo decretada 16 anos após ter cometido o crime pelo qual foi condenado.

 

A demissão foi publicada no Diário Oficial do DF desta terça-feira (14). Hildegilson Aguiar Cavalcante teve a sentença decretada pelo Tribunal de Justiça em fevereiro de 2014 por crime cometido em 2000.


De acordo com a 7ª Vara da Fazenda Pública do DF, que proferiu a sentença, em setembro de 2000 o então policial civil – acompanhado de outro, militar – teria utilizado-se do cargo para extorquir um casal em Taguatinga.

 

Segundo o site da Controladoria-Geral do DF, ele e o comparsa prenderam um suspeito que seria fugitivo no Paraná e ameaçaram a mulher dele para obter vantagens indevidas.

A dupla roubou duas televisões, uma filmadora e R$ 3.650 do casal, segundo o juiz responsável pela sentença.


No ano seguinte, a Corregedoria da Polícia Civil abriu procedimento investigatório e, em março de 2004, Hildegilson foi demitido por "prevalecer-se, abusivamente, da condição de funcionário policial; improbidade administrativa; corrupção".


Na decisão do TJDF, proferida em fevereiro de 2014, o juiz condenou Hildegilson à perda da função pública, à suspensão dos direitos políticos por três anos e a pagar multa de 50 vezes o valor do salário recebido à época. Hildegilson também ficou impedido de ser contratado para qualquer cargo público no prazo de três anos.

“Espera-se de Agentes de Polícia, ao invés de cometimento de crimes, perturbando a Ordem Pública, justamente a proteção da vida, da liberdade e patrimônio do cidadão”, diz juiz na sentença de 2014.


O ex-policial também foi alvo de procedimentos penais abertos em 2001. Segundo site da Controladoria, a decisão teria saído em 2009 pela Vara de Execuções Penais do DF, que determinou a expedição de mandato de prisão. O GDF não informou quantos anos de prisão foram cumpridos.

Segundo o Portal da Transparência, desde janeiro de 2016, 40 servidores do GDF foram demitidos dos cargos, sendo 11 policiais civis ou militares. Destes, 72% foram destituídos "a bem da disciplina" ou por "prevalecer-se abusivamente da condição de policial".

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS