compartilhar

FUNDO DE GARANTIA: Saques de contas inativas do FGTS devem injetar R$ 792 milhões na economia do Distrito Federal

Lojistas se dizem otimistas com possível melhora no mercado da Grande Brasília. Comerciantes que atendem as classes média e média baixa devem ser os maiores beneficiários, aponta especialista.

Os saques de recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) devem injetar R$ 792 milhões na economia do Distrito Federal, aponta projeção da Caixa Econômica Federal. A expectativa de consultores financeiros e lojistas ouvidos pelo G1 é de que o valor aqueça a economia da capital federal, mesmo que os beneficiários optem por pagar dívidas em vez de irem direto às compras.

Imagem relacionada

“Com a queda da inadimplência, não tenho dúvidas, os juros dos varejistas vão cair e a economia vai melhorar”, prevê o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas do DF (CL-DF), José Carlos Magalhães. Ele diz não ter dúvidas de que, com o dinheiro do FGTS, os brasilienses vão preferir “limpar o nome” antes de gastar, mas garante que os donos de lojas devem lucrar de toda forma.


 

“Os crediários serão mais baratos e o consumidor vai querer comprar. Bom para todo mundo”, diz o presidente da CDL.

 


O fato de o calendário de saques do FGTS coincidir com três grandes datas comemorativas – dias das mães, Páscoa e dia dos namorados – é um alento ainda maior para os comerciantes, explica Magalhães. “A expectativa é de que os lojistas passem a contratar mais com qualquer sinal de melhora. Se calcularmos que entrará R$ 150 milhões por mês aqui no DF, vai haver sim mais contratações”, diz.

Resultado de imagem para fgts inativo

Os maiores favorecidos do saque do FGTS devem ser os comerciantes que atendem as classes média e média baixa, explica o professor de Economia da UnB Carlos Alberto Ramos. Para ele, a maior parte das contas inativas tem um valor relativamente baixo, de até R$ 500 reais, e não impactará os grandes lojistas, mas vai ser um alívio para as pequenas lojas.

 

“A economia não vai sair da recessão, ela está toda desajeitada. Mas vai contribuir principalmente com aqueles comércios vinculados a famílias de baixo rendimento ”, diz o professor.

 

Ramos alerta, porém, que quem tem direito ao saque das contas deve pensar bem antes de gastar o benefício. "Pagar dividas sempre é o melhor. Nossa taxa de juros no país esta altíssima."

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS