compartilhar

LITERALMENTE FORA: CBF exclui Mané Garrincha para jogos este ano e GDF diz que vai à Justiça

APÓS ESTIMULAR O GOVERNO DE BRASÍLIA A GASTAR R$2 BILHÕES NO ESTÁDIO, A CBF O CONDENA A VIRAR ELEFANTE BRANCO.

O governo do Distrito Federal ainda não sabe se vai reagir à decisão da CBF e da assembleia de clubes de proibir o mandado de campo, durante o Brasileirão, fora do Estado do respectivo clube.


 

A decisão fere de morte o estádio Mané Garrincha, de Brasília, e demais arenas que a própria CBF estimulou a construir para sediar jogos da Copa do Mundo.


A situação do estádio em Brasília é ainda pior que a dos demais estados que investiram em arenas esportivas para a Copa do Mundo, que em geral têm campeonatos locais muito populares garantindo bom público o ano todo.

 

Na capital do Brasil, a população nativa é ainda muito jovem e seguem aos pais que imigraram para Brasília, mantendo-se fiéis aos times dos seu Estados, inclusive comparecendo em massa a jogos do Brasileirão. 


O subsecretário de Turismo Jaime Recena, administrador do estádio, revelou-se atônito com a decisão, tomada na noite desta segunda-feira (20), durante reunião na sede da CBF.

 

Somente após a insistência dos entrevistadores, ele admitiu que o governo do DF "pode considerar" ir à Justiça contra a decisão da CBF, lesiva aos interesses do povo, do esporte e do governo de Brasília.

Ele afirmou em entrevista à rádio BandNews FM, nesta terça-feira (21), que o governo espera que os times que foram votos vencidos na reunião, como Flamengo, recorram da decisão. Chegou mesmo a dizer que a CBF é uma entidade privada que pode tomar decisões assim, sem mencionar se considera que há direitos desrespeitados de Brasília e Estados prejudicados com a decisão.

 

Fonte: *Via Diário do Poder/Clipping

COMENTÁRIOS