compartilhar

CONTRA MICROCEFALIA E ZIKA: Secretaria de Saúde distribuirá 12 mil repelentes para grávidas

Serão beneficiadas mulheres que estejam em situação de vulnerabilidade social e que façam parte de programas de transferência de renda

Mulheres grávidas que estejam em situação de vulnerabilidade social e que façam parte de programas de transferência de renda do Governo Federal, como o Bolsa Família, serão beneficiadas com a distribuição gratuita de repelentes por parte da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

 

A ação, inédita em Brasília, contará com 12 mil unidades de repelentes.

Resultado de imagem para REPELENTES PARA GRAVIDAS

De acordo com o subsecretário de Vigilância à Saúde, Tiago Coelho, a oferta dos repelentes é mais uma forma de garantir a proteção dos bebês contra a microcefalia, além da infecção pelo vírus do zika.


“Essa entrega às mulheres grávidas do Distrito Federal se dá ao fato de podermos proporcionar a essas pessoas em situação de vulnerabilidade social mais uma forma de defesa contra os riscos trazidos pelo zika”, destacou o gestor.


Resultado de imagem para REPELENTES PARA GRAVIDAS

 

O insumo, que é disponibilizado em formato de spray em embalagem de 100 ml, foi fornecido pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério do Desenvolvimento Social, sem custos ao Distrito Federal. A distribuição ocorrerá neste mês de março nas superintendências das sete Regiões de Saúde, em data a ser divulgada pela pasta.


Além da entrega do repelente, a Subsecretaria de Vigilância à Saúde destaca que a principal forma de se prevenir as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é manter a residência constantemente monitorada, de forma a evitar água parada e a proliferação do mosquito.Imagem relacionada


Para isso, é necessário fazer vistorias em casa: manter caixas, tonéis e barris de água com tampa; fechar bem os sacos plásticos com lixo; manter garrafas de vidro ou plástico sempre com a boca para baixo e encher os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda. Também é preciso limpar as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.


Em caso de identificação de focos, os moradores podem acionar a Vigilância Ambiental pelo telefone 160 para que as equipes intensifiquem o trabalho no local.Com informações da Agência Saúde.


 

 

COMENTÁRIOS