compartilhar

PREDATÓRIA: Policiais resgatam cágados vítimas de pesca irregular no Lago Paranoá

Biólogo da Universidade de Brasília chamou policiais após ver rede de pesca instalada no píer. Um dos animais não resistiu.

Dois cágados foram resgatados pela Polícia Militar do Distrito Federal neste sábado (4).

Um biólogo da Universidade de Brasília fez a denúncia ao perceber que uma rede de pesca estava instalada em um píer, próximo a quadra QL 8 do Lago Sul.


Os policiais contaram que ao chegar no local do resgate, um dos animais já estava morto na rede de cerca 20 metros de comprimento. Os dois cágados foram recolocados no lago.

 

“Mesmo o animal que já estava morto foi devolvido para o lago, porque faz parte do bioma e aquele é o habitat natural deles, então o procedimento é sempre que possível recoloca-los em liberdade no lago.”

De acordo com o tenente Oliveira, responsável pela operação, quase diariamente o batalhão encontra redes de pesca irregular no Lago Paranoá. “A pesca só é permitida quando autorizada e praticamente todo dia pegamos redes de pescadores que não tem a regulamentação”.

Oliveira contou que muitos pescadores deixam a rede no lago pela manhã e voltam para buscar o pescado no final do dia e é nesse intervalo que a polícia consegue resgatar os animais e apreender o material irregular.

“Pesca irregular é crime, com prisão de 1 a 3 anos e multa de R$ 700 até R$ 100 mil reais, mas nem sempre encontramos a autoria”, informou o tenente. No caso dos cágados, não foi encontrado o dono da rede. Os policiais apreenderam o material e devolveram os animais para o lago.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS