compartilhar

MODIFICAÇÕES: Escolas Parque têm redução no número de atendimentos

O GDF não informou quantos alunos serão prejudicados com a medida. As Escolas Parque de Ceilândia e Brazlândia, entretanto, não foram afetadas pela mudança.

A partir de hoje, as cinco Escolas Parque do Plano Piloto (unidades de ensino que oferecem atividades extracurriculares a estudantes da rede pública) atenderão menos alunos.

 

O total de Escolas Classe atendidas por essas instituições caiu de 38 para 17. A redução se deve à implantação do Programa Novo Mais Educação, do governo federal.

 

O governo do Distrito Federal não informou quantos alunos serão prejudicados com a medida. As Escolas Parque de Ceilândia e Brazlândia, entretanto, não foram afetadas pela mudança.

 

De acordo com a Secretaria de Educação do GDF, a diminuição do número de colégios atendidos ocorre pelo limite de atendimento. Antes das mudanças, os alunos frequentavam as Escolas Parque apenas uma vez por semana, no mesmo turno em que estudavam. Agora, com a nova mudança, os alunos terão atividades extracurriculares de segunda a sexta-feira, no contra-turno das aulas.

 Escolas Parque têm redução no número de atendimentos

De acordo com a pasta, a carga horária de estudo desses alunos passará de 200 para 1000 horas.

 

Uma página no Facebook, chamada Pais pela Escola Parque, protesta contra as mudanças e cobra diálogo do governo local.

 

O Programa Novo Mais Educação foi desenvolvido para ampliar a jornada escolar de alunos no ensino fundamental, sobretudo nas áreas de matemática e português. O projeto também pretende aumentar as atividades nos campos de artes, cultura, esporte e lazer.

 

Entre as metas que o Ministério da Educação busca atingir com a proposta estão a melhoria na alfabetização de alunos, a diminuição da evasão escolar, além da redução dos índices de reprovação.

 

As Escolas Parque ofertam atividades extracurriculares como música, artes visuais e esportes para alunos da rede pública.

 

Em fevereiro, o Tribunal de Contas deu parecer favorável ao GDF para que o atendimento das Escolas Parque fosse alterado. Entretanto, a Corte cobrou que o governo prove, em até 60 dias, dispor de estrutura para isso.

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS