compartilhar

"NA CARNE, NÃO!": GDF promete, mas não corta salários do 1º escalão

Segundo o secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, "não há necessidade" de cortes de salários no primeiro escalão.

A proposta anunciada do governo do Distrito Federal de cortar os próprios salários não vai sair do papel.


Em 2015, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) enviou à Câmara Legislativa um projeto de lei que previa a redução de 20% em seu salário, do vice-governador, dos secretários e administradores regionais.

Quase dois anos depois, nada mudou.

"Não acredito que os salários da administração direta sejam excessivos. Acho que eles são compatíveis com a situação de crise que vivemos no país", afirmou o chefe da Casa Civil.

 

De acordo com ele, há dois anos, a medida era necessária porque naquele período o GDF havia excedido o limite máximo da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Atualmente, o governo local está acima do limite prudencial da LRF e segue impedido de contratar pessoal e promover aumentos de salários.

 

Segundo a Casa Civil, o salário líquido (com descontos) do governador é de R$ 15 mil por mês. O GDF tem ao todo 20 secretarias, sendo que cada secretário recebe cerca de R$ 13 mil.

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS