compartilhar

GDF EM SOBRADINHO II: RR regulariza lotes, entrega escrituras, doa geladeiras e lâmpadas de led na localidade

Pessoas receberam o documento da casa própria das mãos do governador Rodrigo Rollemberg, na manhã deste sábado (11)

“Estamos resolvendo coisas que muitos prometeram e não cumpriram, além de fazer de Brasília uma cidade legal” - Rodrigo Rollemberg, governador.


Chegou ao fim a espera de 22 anos da prestadora de serviços gerais Lindalva Ximenes de Melo, de 57 anos. A moradora de Sobradinho II foi uma das 280 pessoas que receberam a escritura do terreno, entregue pelo governador, Rodrigo Rollemberg, na manhã deste sábado (11). A cerimônia ocorreu em frente à Administração Regional de Sobradinho II.

 

A prestadora de serviços gerais Lindalva Ximenes de Melo, de 57 anos, recebeu emocionada a escritura de seu terreno das mãos do governador Rollemberg.

A prestadora de serviços gerais Lindalva Ximenes de Melo, de 57 anos, recebeu emocionada a escritura de seu terreno das mãos do governador Rollemberg. 


 

Muito emocionada, a mãe de oito filho e avó de 15 netos disse que esse é só o começo da realização de um sonho. “Nunca construí minha casa com concreto, porque sempre acreditei que faria isso de forma legal, com a escritura”, disse a cearense radicada em Brasília desde os 17 anos.


Ela, que vive com três filhos e cinco netos no barraco de madeirite no lote recém-regularizado, vai erguer a residência do zero. “Poderei fazer minha casa linda, da forma que sempre desejei”, planeja.


Para o governador, o direito à moradia deve ser uma das prioridades do Estado, pois é um ponto essencial para a qualidade de vida da população. “Estamos resolvendo coisas que muitos prometeram e não cumpriram, além de fazer de Brasília uma cidade legal”, ressaltou Rollemberg.


De acordo com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), as escrituras referem-se a lotes de pontas de quadras regularizados que abrigam mais de uma família. Nesse caso, cada composição de moradores recebeu uma via do documento.


As ações fazem parte do eixo Lote Legal do Habita Brasília, programa habitacional do GDF. Desde 2015, o governo já distribuiu 24.655 escrituras, quantidade que representa um terço de todos os documentos entregues nos governos anteriores. Cerca de 250 lotes já foram repassados nesta gestão. A expectativa é entregar, até o fim de 2017, mais 23 mil escrituras.


Segurança dos documentos entregues

As escrituras entregues na manhã de hoje são emitidas com itens de segurança, como papel-moeda, adesivo reflexivo com a marca da Codhab e tinta invisível reagente à luz ultravioleta. Outro recurso que evita a falsificação da certidão é o QR Code.

Para verificar a autenticidade dela, o beneficiário deve apontar o leitor do código para o documento e aguardar a abertura da página na internet de autenticação da Codhab.


Moradores da Vila Buritizinho também foram contemplados

Também neste sábado, 50 moradores da Vila Buritizinho, em Sobradinho II, inscritos no cadastro da Codhab receberam lotes urbanizados. Os terrenos estão em ruas pavimentadas, com infraestrutura de abastecimento de água e esgoto, energia e iluminação pública.


Antes, logo no início da manhã, o chefe do Executivo esteve no Lote 3 do setor habitacional, onde ocorrem obras de infraestrutura, drenagem pluvial e pavimentação – com bloquetes nas vias residenciais e asfalto nas principais.

“Essa é uma intervenção muito esperada por esta comunidade, ficamos felizes em promover essa mudança tão significativa”, destacou Rollemberg. A previsão é de que a obra seja entregue neste semestre.


Pista de bicicross

Depois das entregas, o governador foi verificar o andamento da reforma de uma pista de bicicross ao lado do estádio Augustinho Lima, em Sobradinho.

A iniciativa atende a uma demanda especial feita diretamente a Rollemberg pelo estudante João Henrique Vianna Ribeiro, de 13 anos. Em outubro de 2016, o jovem, que é tricampeão brasiliense e campeão brasileiro na modalidade, aproveitou uma visita do chefe do Executivo para pedir a reforma do espaço, que estava deteriorado.

Ainda em Sobradinho, o governador Rollemberg foi ao Estádio Augustinho Lima, visitar as obras estruturais e de troca do gramado.

Ainda em Sobradinho, o governador Rollemberg foi ao Estádio Augustinho Lima visitar as obras estruturais e de troca do gramado.


“Isso vai incentivar os jovens a praticar o esporte e ficar longe dos perigos da rua”, acredita João Henrique.

Rollemberg aproveitou a ida ao local para visitar o estádio, onde ocorre a troca de todo o gramado e outras intervenções estruturais feitas pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

Sobradinho será a primeira região administrativa que receberá as adequações em 2017. Os estádios do Paranoá, de Taguatinga e de Samambaia também passam por reforma.

 

Troca de geladeiras estimulará economia de energia em Sobradinho II


Substituição de 400 refrigeradores e de 4 mil lâmpadas incandescentes neste sábado (11) beneficiam moradores da região administrativa. 

Para serem contempladas com os equipamentos, as famílias devem ser consumidoras da CEB e morar em áreas carentes.

 

A partir dos próximos meses, a conta de luz poderá pesar menos no bolso de famílias de Sobradinho II. Na manhã deste sábado (11), 400 geladeiras inadequadas foram substituídas por equipamentos novos e mais eficientes e com menor impacto ambiental.

O governador Rodrigo Rollemberg entrega geladeira ao morador de Sobradinho II, Helenilton Sousa Silva.
O governador Rodrigo Rollemberg entrega geladeira ao morador de Sobradinho II, Helenilton Sousa Silva. 


Para estimular ainda mais a economia energética na região, também foram substituídas 4 mil lâmpadas incandescentes para a população e feita a triagem para a doação de cem aquecedores solares de água.

Ao entregar uma das geladeiras a Helenilton Sousa Silva hoje, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, ressaltou a competência da ação. “Beneficiaremos pelo menos 400 famílias em Sobradinho II, mas o ganho é de todo o Distrito Federal”, disse Rollemberg.

A casa do casal Wanderson Pablo Ferreira, de 38 anos e Isabel Cristiane Ferreira, de 36 anos, terá uma economia estimada em 30%. Eles receberam das mãos do governador um aquecedor solar de água para substituir o chuveiro elétrico.

“Gasto uma média de R$ 250 a 280 por mês na conta de luz, espero uma melhora significativa no próximo mês”, alegrou-se Wanderson.

Programa Agente CEB

A ação é de iniciativa da Companhia Energética de Brasília e integra o programa Agente CEB, que está em sua terceira edição. A substituição começou em dezembro de 2016, em Ceilândia, e já passou pela Fercal, por Samambaia e por Sobradinho.

“As geladeiras são novíssimas e de consumo pequeno, o que proporciona para cada contemplado uma grande redução na conta de energia”, disse o diretor-presidente da CEB, Ari Joaquim da Silva.

O objetivo é substituir 7 mil refrigeradores e 80 mil lâmpadas e a doar 2 mil aquecedores solares no Distrito Federal. Até o momento foram entregues 2.332 refrigeradores, 10.768 lâmpadas, 150 aquecedores.

Como participar do programa

Para serem contempladas com os equipamentos, as famílias devem ser consumidoras da CEB e morar em áreas carentes do DF. Um agente de campo visita as casas para avaliar a eficiência dos materiais e verificar se há lâmpadas incandescentes ou fluorescentes.

Se verificada a necessidade de trocas, é agendada a visita de um eletrotécnico. Ele valida a indicação e anexa um selo para substituição. As geladeiras e as lâmpadas recolhidas serão enviadas para uma empresa de reciclagem.

No caso da doação dos aquecedores solares, a ideia é diminuir a conta de luz em relação ao chuveiro elétrico, grande consumidor de energia.

Para receber o benefício, os agentes avaliam se as moradias têm laje, que é a estrutura adequada para receber o equipamento, ou espaço físico suficiente para receber a placa de captação da luz solar e o reservatório térmico para armazenar a água aquecida.

Todos os equipamentos oferecidos pela CEB contam com o Selo Procel de Economia de Energia. Os investimentos para a aquisição desses aparelhos e dos aquecedores solares, além dos serviços, somam R$ 16.630.992,79.

Entre as obrigações previstas em contratos de concessão firmados pelo Ministério de Minas e Energia está a aplicação de, no mínimo, 0,5% da receita operacional líquida da distribuidora em ações de combate ao desperdício de energia (programas de eficiência energética).

A medida, prevista na Lei Federal nº 9.991, de 2000, é fiscalizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

 

COMENTÁRIOS