compartilhar

POLUIÇÃO VISUAL: Xará de Dória em Brasília decreta "guerra contra sprays" e sai à caça de pichações

Publicitário convocou mutirão para limpar placas e lixeiras da cidade alvos de depredação. Versão brasiliense do prefeito de São Paulo garante, no entanto, que grafitti fica.

Antes e depois da limpeza voluntária de placa na 105 Sul


Incomodado com o aumento do número de pichações em Brasília, um morador homônimo do prefeito de São Paulo João Dória – outro inimigo dos sprays – decretou “guerra” contra as depredações na capital federal neste sábado (11).


Desde que assumiu o governo da capital paulista, Dória encabeça uma operação para apagar dos muros da cidade a intervenção de artistas e pichadores. Já na versão brasiliense, o publicitário João Amador, de 39 anos, garate que pixação sai, mas grafitti fica.

 

O trabalho de Amador se concentra em placas, onde pixações atrapalham a identificação dos endereços na cidade, e nas lixeiras de metal. “Grafitti é diferente, a gente tem de estimular porque dá um colorido novo para a cidade”, afirmou ao G1.

“Nos últimos meses, o número de pichações no Plano Piloto aumentou muito. A cidade ficou feia, suja, descuidada. Cansei de esperar o governo do DF fazer alguma coisa. Resolvi fazer eu mesmo. É um movimento de cidadania”, disse.


Nesta sábado, o publcitário se muniu de solvente, estopa, máscara e luvas. Com o equipamento, Amador conseguiu tirar as marcas nas placas de endereços nobres da cidade, como o Parque da Cidade, o Cine Brasília e quadras residenciais da Asa Sul.

“Com R$ 20 a gente resolve o problema. Mas para apagar muros é mais caro. Aí eu não tenho como fazer. Espero que essa iniciativa pressione o governador [Rodrigo Rollemberg] para tomar alguma atitude e limpe os muros também.”

Equipamento usado para limpar placa custa R$ 20

Criador da página “Histórias de Brasília”, que reúne no Facebook fotos antigas e histórias de moradores da capital, Amador usou a internet para chamar atenção das autoridades e convocar mais voluntários. A página tem cerca de 70 mil curtidas.


“A situação das placas de Brasília ficou insustentável. Há muito o que ser feito. Escolham um lugar próximo de casa e mãos à obra. Infelizmente, não faltam locais pichados. Ao longo dos eixinhos e Eixão, por exemplo, quase todas as placas estão depredadas.”, diz um post dele.

“A ideia é que cada um limpe um pouco na própria vizinhança. Dei o ‘start’ hoje e as pessoas super apoiaram. Até gente de outras cidades elogiou a iniciativa. Espero que outros moradores participem.”

Apesar do apoio, Amador admite que o projeto ainda não teve muita adesão do tipo “gente que põe a mão na massa”. “Eu vou continuar fazendo. Isso é uma coisa que leva tempo. Quando as pessoas começarem a ver os resultados, vão fazer também.”

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS