compartilhar

TÁ QUENTE: Calor de março em Brasília é o maior desde a década de 1960

Chuva que caiu na tarde desta terça não aliviou seca. De 1º a 13 de março choveu 23,3 milímetros; média do mês é de 180,6 milímetros.

Sem  registro de chuva desde o dia 4 de março, o Distrito Federal viu o céu escurecer anunciando um temporal na tarde desta terça-feira (14).

Os ventos chegaram a 46 km/h, caiu granizo na Asa Sul, em Samambaia e Águas Claras.

Mas a estação automática do Inmet registrou apenas 13,8 milímetros de chuva, muito abaixo da média para o mês de março que já é o mais quente desde 1963.


De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, no dia 7 de março os termômetros marcaram 31,8 ºC, a terceira maior temperatura registrada durante o mês, desde a inauguração de Brasília.

O recorde de calor foi no dia 03 de março de 1969, 32,1 ºC. Até então, os 32 ºC registrados no dia 16 de março de 1963 eram a temperatura máxima em terras candangas.


A chuva desta terça aliviou, mas segundo a meteorologista Ingrid Peixoto, nem de longe alivia a crise hídrica.

 

"Mesmo que chova até o final do mês, não chegaremos a média esperada para março."

 

Segundo Ingrid, no ano passado o acumulado de chuvas entre 1º e 13 de março foi de 134,8 milímetros.

 

Este ano choveu apenas 23,6 milímetros até agora. "Para a segunda quinzena de março esperamos entre 70 e 90 milímetros de chuva", explicou a meteorologista.


Ingrid disse ainda que até o fim da semana pode chover, mas não em grande volume. E por causa do calor, os moradores do DF podem ver se repetir cenas como as desta terça-feira, de pancadas fortes e de curta duração, com muito vento e até possibilidade de granizo.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS