Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

TEMPORAIS: Fortes chuvas deixam famílias desalojadas na Grande Brasília

Segundo a Defesa Civil local, quatro casos foram registrados em São Sebastião e três em Sobradinho 2, cidades-satélites da capital federal.

Pelo menos sete famílias tiveram que deixar suas casas depois da forte chuva que atingiu o Distrito Federal nos últimos dias.

 

Segundo a Defesa Civil local, quatro casos foram registrados em São Sebastião e três em Sobradinho 2. Ontem (21), foram registrados alagamentos em todo Plano Piloto e do entorno da capital federal.


Segundo o subsecretário de Proteção e Defesa Civil do Distrito Federal, coronel Sérgio José Bezerra, algumas pessoas tiveram que ser retiradas de veículos, mas não houve registro de desabamentos ou rupturas. “Apesar disso, tivemos que interditar a linha férrea que passa no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), que é usada para transportar combustível e minérios por dutos, porque o local sofreu uma erosão enorme”, disse ele.

 

 

A empresa responsável pela manutenção foi avisada sobre a interdição e se comprometeu a solucionar o problema e liberar a linha até amanhã.

 

Pelo registro do Corpo de Bombeiros, há duas ocorrências de desabamento.

 

Uma delas ocorreu em uma das vias de acesso à comunidade Fercal, próxima a Sobradinho.

 

Não houve mortos ou feridos. No caso de resgate em veículos, os bombeiros registraram sete ocorrências.

Um dos salvamentos foi o de uma gestante que estava em trabalho de parto e ficou presa no carro, na quadra 601 da Asa Sul, onde ocorreram mais três resgates.

 

Nas proximidades do Aeroporto JK, motoristas e passageiros de três carros precisaram da ajuda dos bombeiros. Os salvamentos também ocorreram no SIA e em um viaduto do Guará, a 15 minutos do centro de Brasília.


Para tentar reduzir os problemas em função da elevação do volume de água, o governo local abriu as duas comportas da Barragem do Paranoá que abastece a Grande Brasília.

 

Na noite de ontem, as comportas foram suspensas em 15 centímetros e hoje, segundo o coronel, a abertura chegará a 40 centímetros. “Temos que avisar a comunidade, fazer sobrevoo para evitar acidentes com os ribeirinhos. A Defesa Civil nacional também foi avisada para informar Minas Gerais e Goiás sobre a onda de cheia [em rios vizinhos] que poderá ocorrer pela abertura dessas comportas”, explicou.


A Vila Cauhy, no Núcleo Bandeirante, que foi fortemente atingida pela chuva, já está com a situação normalizada. O coronel Bezerra explicou que todas as ações foram concluídas e por isso a ajuda humanitária no local foi suspensa hoje. Nenhum registro de abalo estrutural foi registrado. “Só registramos perdas materiais, mas as pessoas já voltaram para suas casas”, acrescentou.

 

COMENTÁRIOS