compartilhar

GASES MORTAIS: Empresário que adulterava cilindros de oxigênio, inclusive medicinal, é condenado. VEJA VÍDEO

Idevaldo Laurentido da Silva foi sentenciado a 10 anos de reclusão. Segundo investigações, ele vendia oxigênio batizado para pacientes

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) condenou o empresário Idevaldo Laurentino Silva, 56, a 10 anos de reclusão, inicialmente em regime fechado. Dono de uma oficina que vendia cilindros de gás oxigênio, ele adulterava os produtos para aumentar o lucro, tornando-os impróprios para o consumo.

Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público  do DF e Territórios (MPDFT), os cilindros periciados estavam em desacordo com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O estabelecimento não possuía alvará de funcionamento nem funcionários com capacidade técnica para manipular o gás.

Os auditores da Anvisa também constataram diversas irregularidades na oficina, como o reenvasamento de oxigênio medicinal e a falta de condições de higiene mínimas para o funcionamento do local.

 

O esquema foi desmantelado em março do ano passado pela Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DCPIm). De acordo com as investigações, Idevaldo comprava cilindros de oxigênio originais e os misturava com outros cinco ou seis gases, como ar comprimido e oxigênio industrial.

Depois de adulterados, os cilindros ficavam com uma parte composta pelo gás original e o resto modificado, sem benefícios para a saúde. Assim, o paciente primeiro apresentava melhoras ao inalar o oxigênio original e, depois, tinha problemas ao utilizar a parte com outros gases, podendo chegar inclusive à morte por insuficiência respiratória.(Por:Pedro Alves)

VEJA VÍDEO DA "FÁBRICA" QUE FOI FECHADA...

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS