compartilhar

TREVO DE TRIAGEM NORTE: Obras devem ser concluídas no final de 2018, diz governador Rollemberg

Ele visitou o local nesta terça. MP apontou irregularidades ambientais; Ibram nega e diz que empreendimento é seguro.

As obras do Trevo de Triagem Norte, iniciadas em maio do ano passado, não foram interrompidas após o Ministério Público apontar irregularidades ambientais em fevereiro. O Instituto Brasília Ambiental (Ibram), responsável pelo licenciamento, informou ao G1 que segue os protocolos de segurança ambiental. Nesta terça (28) o governador Rodrigo Rollemberg esteve no local.

Segundo o Departamento de Estradas e Rodagens (DER), a previsão para entrega das obras é em junho de 2018. No entanto, o governador Rodrigo Rollemberg afirmou, em coletiva de imprensa durante vistoria do trevo, que a conclusão está prevista para o final do ano que vem.

 

"Esta é a maior obra viária já realizada no DF. Vai melhorar a mobilidade de todos que precisam se deslocar para a região norte do DF. Vai atender os motoristas, ônibus de transporte público e até os ciclistas."

O DER informou ao G1 que cumpriu as condicionantes cobradas pelo Ministério Público - entre elas, o Projeto Básico Ambiental - e encaminhou relatório ao Ibram. O Ibram esclareceu que não acatou a recomendação do Ministério Público do DF, mas que "prestou esclarecimentos e encaminhou uma cópia digital do processo de licenciamento no começo da semana passada".

Segundo o instituto, as obras estão de acordo com todos os requisitos de proteção ambiental. "O Ibram está sempre muito atento a esses critérios para evitar danos."

Como tratam-se de informações técnicas, os documentos enviados pelo Ibram serão analisado por uma equipe de perícia do Ministério Público. O órgão não estimou prazo para conclusão da análise. De acordo com o DER, o andamento das obras segue o calendário do projeto inicial. Desde o início, em maio de 2016, 10% das construções do trevo foram concluídas.

 

Interdição

 

No dia 15 de fevereiro, o Ministério Público do Distrito Federal recomendou que o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) interditasse as obras por irregularidades ambientais. O órgão apontou que as intervenções não tinham o Projeto Básico Ambiental, "indispensável para o início de qualquer obra que cause impacto significativo".

Mesmo com licença prévia e utorizações ambientais liberando o empreendimento, uma perícia feita pelo MP apontou danos ambientais em áreas consideradas sensíveis, como córregos, nascentes e veredas. Com o pedido, as obras deveriasm ser interrompidas até que as irregularidades fossem resolvidas.

"As apontadas negligências dos envolvidos causam riscos ambientais, tais como o incremento do processo de assoreamento de corpos hídricos e, em especial, as intervenções em Áreas de Preservação Permanente (APP) do Lago Paranoá, de veredas, de nascentes, assim como as Unidades de Conservação e a outros territórios ambientalmente protegidos", disse o promotor Roberto Carlos Batista, de Defesa do Meio Ambiente.

Poça d'água acumula-se há uma semana ao longo de trecho interditado por obras do Trevo de Triagem Norte 

Áreas afetadas, segundo o MP

 

 

  • Nascente e pequeno corpo hídrico que drena para o Lago Paranoá, localizados dentro dos limites do Parque Urbano Lago Norte
  • Área brejosa localizada às margens do Lago Paranoá, abaixo da Ponte do Braghetto junto à L4 Norte;
  • Remanescentes de vereda localizadas próxima à alça que dá acesso da W3/L4 Norte à Ponte do Braghetto
  • Nascente Ibiraci, localizada próxima à saída da pista de acesso ao Eixinho L, para a L4 Norte

 

 

A obra

 

As obras de construção do Complexo Viário Norte – que incluem a criação de uma via marginal à DF-003 e a “expansão” da Ponte do Bragueto – devem ficar prontas em dezembro e beneficiar 200 mil pessoas que passam pela região diariamente.

De acordo com o GDF, as obras devem acabar com problemas antigos, como a necessidade de recorrer à faixa reversa em horários de pico de segunda à sexta. Quando concluído, o complexo vai eliminar a faixa reversa entre o Plano Piloto e a região de Sobradinho.

O projeto inicial previa doze obras no Trevo de Triagem Norte – entre pontes, viadutos e túneis – que distribuiriam o fluxo de veículos com destino ao Plano Piloto, levando ao Eixo Rodoviário Norte-Sul, à W3, aos Eixinhos Leste e Oeste e à L2.

No total, as obras vão custar R$ 207 milhões. A primeira parcela do financiamento do Banco Federal, de R$ 10 milhões, foi liberada em junho de 2016. Os repasses serão trimestrais até o fim das obras, que está previsto para dezembro.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS