compartilhar

AEDES AEGYPTI: Grande Brasilia registra 768 casos prováveis de dengue em 2017

Número apresenta redução de quase 90% em relação ao mesmo período do ano passado. Dados foram divulgados pela Secretaria de Saúde nesta quarta (29)

O Distrito Federal registrou, nos primeiros três meses do ano, 768 casos prováveis de dengue. Desse total, 630 eram de pessoas residentes na capital federal e 138 provenientes de outras unidades da Federação.

 

O número representa queda de 89,42% em relação ao ano passado, que fechou o mesmo período com 12.201 ocorrências.

As cidades-satélites com maior número de notificações foram Ceilândia (42), Gama (74), Guará (13), Planaltina (66), Recanto das Emas (19), Samambaia (71), Santa Maria (51), São Sebastião (74), Sobradinho (26), Sobradinho II (28), Taguatinga (37) e Vicente Pires (14).


Os dados são do Informativo Epidemiológico nº 13, divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (29).

De acordo com o balanço, até o momento foram registrados três casos grave, e não houve nenhum óbito causado por dengue em moradores da capital federal e suas cidades-satélites. No mesmo período de 2016, ocorreram 19 infecções graves e dez mortes entre habitantes locais.

Febre chikungunya e zika vírus

Até o momento, foram registradas 91 notificações de febre chikungunya. No entanto, só 47 das ocorrências foram consideradas prováveis. Dessas, 33 são de residentes do Distrito Federal e 14 de outras unidades de Federação.

As localidades que tiveram registro da doença foram: Taguatinga (7), Gama (5), Santa Maria (4), Samambaia (3), Paranoá (2), Ceilândia (2), São Sebastião (2), Lago Norte (2), Sobradinho I (1), Asa Sul (1), Asa Norte (1), Vicente Pires (1), Guará (1) e Itapoã (1).

Ainda segundo o informativo, houve 31 infecções agudas pelo vírus da zika. Desses, 22 residem no Distrito Federal e nove em outras regiões.

Os casos prováveis de zika Vírus, em habitantes locais, ocorreram nas localidades de Sobradinho (3), Vicente Pires (3), Gama (3), Samambaia (2), Guará (2), Santa Maria (2), Taguatinga (2), Asa Sul (1), Águas Claras (1), Paranoá (1), Lago Sul (1) e São Sebastião (1).

Não há casos confirmados de doença aguda causada pelo zika vírus em gestantes brasilienses. A notificação feita em boletins anteriores é de gestante procedente de Padre Bernardo, Goiás.

 

COMENTÁRIOS