compartilhar

CAMPUS PARTY: Iniciada vendas de ingressos do maior evento de tecnologia, empreendedorismo e inovação do mundo

Maior evento de tecnologia e empreendedorismo do mundo será realizado em junho em Brasília

Vai começar a venda de ingressos para a primeira Campus Party realizada em Brasília. Com a pré-venda encerrada nesta sexta-feira (31), o 1º lote, de abril, dará direito aos cinco dias do maior evento de tecnologia, empreendedorismo e inovação do mundo.

O lote de abril custa R$ 150 só o ingresso, R$ 220 a entrada com camping individual e R$ 230 o ticket de acesso com camping duplo. Os interessados devem adquirir pelo site do evento.

A partir de maio, segundo lote, a entrada custará R$ 250 com camping individual e em junho, mês da feira, R$ 280 com o camping.

A Campus Party Brasília vai ser realizada entre 14 e 18 de junho no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Segundo o secretário adjunto do Trabalho e Empreendedorismo do DF, Thiago Jarjour, o evento é abrangente e deixa marcas pelas cidades. “Por onde ela passa, deixa um legado. Esperamos que em Brasília seja assim.”

Jarjour destaca ainda que o festival ajudou a implementar células empreendedoras em universidades e de robótica livre em escolas públicas em outros países. “O exemplo poderia ser seguido aqui, e a Campus Party servir de mola propulsora para a implementação do Biotic – Parque Tecnológico”, acrescentou.

Origem

A Campus Party surgiu na Espanha, em 1997, e é considerado um dos maiores festivais de tecnologia do mundo. Ocorre anualmente na Argentina, na Costa Rica, no Equador, na Holanda, na Itália e no México. Além desses países, foi promovido na Alemanha, na Colômbia, em El Salvador e na Inglaterra.

No Brasil, a primeira edição foi em São Paulo, em 2008, e teve 3,3 mil participantes. No ano seguinte, o número mais que duplicou, reunindo 6.655 pessoas. Desde 2012, Recife também começou a desenvolvê-lo, com cerca de 2 mil inscritos. No ano passado, 12 mil pessoas estiveram na Campus Party nos dois estados — 4 mil em Pernambuco e 8 mil em São Paulo.

 

COMENTÁRIOS