compartilhar

RESTAURAÇÃO VISUAL: Pintura da fachada do Museu Nacional, suja e pichada por vândalos, é renovada

Com técnica de rapel, profissionais usaram água não tratada vinda de Goiás para lavar o prédio. Serviço deverá ser concluído até o aniversário de Brasília, em 21 de abril

Alvo de pichações de manifestantes em 2016, a fachada do Museu Nacional é repintada pela Secretaria de Cultura.

De acordo com a pasta, responsável pela administração do espaço, além do aspecto estético, o trabalho visa evitar possíveis infiltrações.


A pintura é a última fase do processo, que passa antes por lavagem e impermeabilização. Segundo a secretaria, a primeira etapa utilizou água não tratada, de caminhões-pipa vindos de Cristalina (GO).


Para cobrir a fachada do prédio, que fica no Setor Cultural Sul, próximo à Rodoviária do Plano Piloto, os profissionais contratados usam técnica de rapel. A rampa de acesso ao museu também recebe pintura nova.

A previsão inicial para duração do serviço, que começou em 11 de março, era de 20 dias, mas houve atraso devido às chuvas.

 

Agora, a Cultura estima que esteja tudo pronto até o aniversário de Brasília, em 21 de abril.

Os trabalhos são executados por empresa especializada no ramo contratada para fazer manutenção predial e pequenas reformas em equipamentos públicos mantidos pela Secretaria de Cultura.


O custo é de R$ 156.628,74 — parte do valor total de R$ 4.529.999 da licitação. Entre outros locais, os recursos serão usados para a reforma da Biblioteca Pública de Brasília (312/313 Sul), prevista para iniciar nesta quarta-feira (5).

Última fase do processo de de manutenção da fachada do Museu Nacional, a pintura deve ser concluída até o aniversário de Brasília, em 21 de abril.

 

COMENTÁRIOS