compartilhar

BOM PARA O CIDADÃO: Celular roubado de brrasiliense poderá ser bloqueado em delegacias da Grande Brasília

Secretário de Segurança Pública se reunirá com a Anatel para discutir a medida, já implantada em outras unidades da Federação

Em breve, brasilienses que tiverem o celular roubado ou furtado poderão solicitar o bloqueio do aparelho nas delegacias do Plano Piloto e das cidades-satélites. A ideia é coibir a ação de criminosos, que repassam os aparelhos a receptadores.


Atualmente, o bloqueio só pode ser feito junto às operadoras e nas delegacias de unidades da Federação autorizadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Hoje, o serviço está disponível no Amazonas, na Bahia, no Ceará, no Espírito Santo, em Mato Grosso, no Rio de Janeiro e em São Paulo.


Na próxima quarta-feira (12/4), o secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Edval de Oliveira, se reunirá com a Anatel para discutir a implantação da novidade na capital federal. Quando o sistema estiver em operação, a vítima poderá bloquear o aparelho roubado no momento do registro da ocorrência em qualquer delegacia.

Metrópoles/Arquivo

 

Na avaliação do secretário Edval de Oliveira, a parceria vai contribuir para tornar os telefones menos atraentes aos bandidos, em função da dificuldade em vendê-los para receptadores.

Hoje, para bloquear os celulares junto às operadoras os consumidores precisam indicar o número do International Mobile Equipment Identity (Imei, na sigla em inglês), espécie de RG dos aparelhos. O Imei está estampado na caixa do produto e na nota fiscal. Também pode ser consultado ao digitar *#06# no celular.

Processo simples
O gerente de Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali, explica que o processo de implementação é simples: “São fornecidas duas formas de se fazer o bloqueio. O policial entra no portal, com login e senha, e consegue ter acesso ao terminal de bloqueio. A segunda opção é mais técnica e envolve um sistema de informação que precisa ser adquirido pelo governo. Temos estados brasileiros usando ambas as opções”, disse Pasquali ao Metrópoles.

Veja como funciona

Reprodução/Anatel

 

O cadastro do governo no sistema é feito, de modo geral, em um curto período. Os servidores que farão o bloqueio, no entanto, precisam passar por um curso, com duração de um dia, para dominar as ferramentas oferecidas.

Alguns estados preferem centralizar o serviço em uma unidade. Outros optam por qualificar todos os agentes para que eles tenham acesso ao portal no momento em que a ocorrência é registrada" - Nilo Pasquali, gerente de Regulamentação da Anatel

Como a mudança é relativamente nova, a Anatel ainda não tem estatísticas sobre o índice de roubos e furtos após a implementação do sistema. “Mas sabemos que a medida facilitou bastante a vida do cidadão, que já teria que ir à delegacia de qualquer forma”, completou o gerente da Anatel.

A agência alterou as regras para bloqueio de celulares em março de 2016. Antes, as operadoras poderiam demorar até uma semana para travar o aparelho. Agora, esse processo ocorre em algumas horas. Caso o usuário consiga recuperar o telefone, pode desbloqueá-lo ao ligar para a prestadora.

Alvo de bandidos
Embora não haja dados precisos sobre quantos celulares são roubados na Grande Brasília, estima-se que 70% das ocorrências de roubo a pedestres na capital federal têm os telefones como principal alvo. Para se ter uma dimensão do problema, apenas nos dois primeiros meses de 2017 foram 6.411 registros — 6,6% a mais do que no mesmo período do ano passado.(*Por:Mirelle Pinheiro)

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS