compartilhar

PIS-PASEP: Mais de 65 mil não sacaram o abono salarial de 2015 no Distrito Federal

Saque está disponível para quem trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias naquele ano, com remuneração média de até dois salários mínimos

Mais de 65,2 mil brasilienses ainda não sacaram o abono salarial ano-base 2015. O Distrito Federal lidera o ranking de trabalhadores que deixaram de retirar o benefício em todo o país, com apenas 84,13% dos pagamentos devidos. O saque pode ser feito até o próximo dia 30 de junho.


No total são 411 mil benefícios na Grande Brasília, segundo dados da Divisão do Seguro-Desemprego e Abono Salarial do Ministério do Trabalho.

O governo federal liberou os lotes do Abono Salarial para 24,25 milhões de trabalhadores, com valores que variam entre R$ 78 e R$ 937, dependendo do tempo de trabalho formal em 2015. No Distrito Federal foram pagos R$ 242,2 milhões.


Quem recebe
O abono salarial 2015 está disponível para quem trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias naquele ano, com remuneração média de até dois salários mínimos. O trabalhador precisava estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, além de ter seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).


 

O chefe de divisão do Seguro-Desemprego e Abono Salarial do Ministério do Trabalho, Márcio Ubiratan, explica que o valor pago é baseado no salário mínimo vigente, de R$ 937, e é proporcional aos meses trabalhados durante o ano-base. “Quem trabalhou por apenas 30 dias receberá o equivalente a 1/12 do salário mínimo, e assim sucessivamente. Para receber o valor integral, é preciso ter trabalhado formalmente durante todo o ano de 2015”, explica Ubiratan.


O benefício está disponível na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil. A Caixa paga os trabalhadores da iniciativa privada, vinculados ao PIS. O Banco do Brasil paga os servidores públicos vinculados ao Pasep.

Resultado de imagem para PIS PASEP DF

O recurso do abono salarial vem do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que é mantido pela contribuição de empregadores e gerido pelo Conselho Deliberativo do FAT (Codefat), composto por representantes de trabalhadores, empregadores e governo.

Ele se destina exclusivamente ao pagamento do abono salarial e do seguro-desemprego. Para o pagamento do abono ano-base 2015, já foram liberados mais de R$ 15,51 bilhões.

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS