compartilhar

MAIS PROBLEMAS: Professores da rede particular da Grande Brasília paralisarão aulas na sexta (28/4)

A paralisação prevista para sexta (28/4) é liderada por centrais sindicais e sociais em todo o país contra a Reforma da PrevidênciaA paralisação prevista para sexta (28/4) é liderada por centrais sindicais e sociais em todo o país contra a Reform

Professores da rede particular de ensino do Distrito Federal prometem paralisação geral na próxima sexta-feira (28/4).

Eles vão participar do movimento de greve geral liderado por centrais sindicais e sociais em todo o país.


O Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep) confirma que a suspensão das aulas vai ocorrer somente na sexta-feira (28/4).

“Temos uma lista de 40 escolas já confirmadas, mas só vamos divulgá-la na segunda-feira (24/4). Estamos fazendo um trabalho de convencimento da categoria. É importante negociar que não cortem a folha de ponto desses profissionais no dia da paralisação”, explica Rodrigo Pereira de Paula, diretor jurídico do Sinproep.


A rede particular de ensino do Plano Piloto e das cidades-satélites emprega 14 mil profissionais nas escolas e outros 6 mil no ensino superior. “Vamos fazer um mutirão nas faculdades, que devem aderir também”, avisa Rodrigo.


 

O Sinproep luta contra as reformas da Previdência e trabalhista e a Lei da Terceirização. A paralisação será reforçada pelos professores da rede pública. O Sinpro-DF confirmou a adesão.

O que muda com a reforma?

O texto, protocolado na Câmara dos Deputados como PEC 287 e já acatado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, estipula a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres. O tempo mínimo de contribuição para ambos poderá ser de 25 anos.(*Por: Ian Ferraz)

 

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS