compartilhar

ANIVERSÁRIO DE BRASÍLIA: Raça Negra animou o segundo dia de comemorações dos 57 anos da capital federal

Além do grupo paulistano de pagode, 3 artistas locais garantiram a diversão do público durante a celebração dos 57 anos da cidade, na Torre de TV. Cerca de 10 mil pessoas participaram da festa

A comemoração do aniversário de Brasília, que completou 57 anos em 21 de abril, seguiu durante este sábado (22) na Torre de TV, no Eixo Monumental.

 

Após os shows de artistas locais, a banda Raça Negra subiu ao palco às 21h55 para encerrar a noite.

As atividades gratuitas estão previstas até 29 de abril.

 

Considerada a atração mais esperada do dia, o grupo de pagode paulistano reuniu fãs no local desde o fim da tarde. Na festa para celebrar a cidade, o vocalista Luiz Carlos ressaltou o carinho recebido: “A receptividade é muito boa. Brasília está sempre no nosso roteiro, pelo menos duas vezes por ano”.


A comemoração do aniversário de Brasília, que completou 57 anos em 21 de abril, seguiu durante este sábado (22) na Torre de TV, no Eixo Monumental. Após os shows de artistas locais, a banda Raça Negra subiu ao palco às 21h55 para encerrar a noite.

A comemoração do aniversário de Brasília, que completou 57 anos em 21 de abril, seguiu durante este sábado (22) na Torre de TV, no Eixo Monumental. Após os shows de artistas locais, a banda Raça Negra subiu ao palco às 21h55 para encerrar a noite.


Com a animação dos brasilienses e a experiência da banda na capital federal, ele previu, pouco antes de entrar no palco, como o show se desenrolaria. “Entramos para agradar, mas o público já faz acontecer pela boa vontade que recebe a gente”, opinou.

O casal Joelson Oliveira e Raiana Rosário, ambos de 24 anos, estavam entre os mais animados. Eles saíram cedo de São Sebastião para garantir um bom lugar na Torre de TV.

“Vimos um show do Raça Negra em Salvador e gostamos bastante”, justificou a estudante. Para ajudar na espera, eles levaram canga para sentar no gramado e recipiente térmico abastecido com bebidas. “Assim não tem erro”, brincou o servidor público.

Segundo balanço da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, 10 mil pessoas participaram da festa. O Corpo de Bombeiros Militar atendeu três pessoas no local, duas com sintomas de pressão alta e uma por coma alcoólico. Nenhuma ocorrência foi registrada pela Polícia Militar.

Atrações locais divertiram o público com maracatu, forró e samba

O segundo dia de festa começou às 18h20, com a percussão do grupo Boi de Seu Teodoro, patrimônio cultural do DF. Com mais de 54 anos e original de Sobradinho, o grupo folclórico de bumba meu boi abriu uma roda em frente ao palco para o cortejo que mistura maracatu a outros ritmos populares.

Morador de Vicente Pires, Diogo Brayan Silva, de 23 anos, levou o filho Miguel, de 2 anos, e a namorada Helena Caldas, de 39 anos, para prestigiar a apresentação. “Estávamos no Parque da Cidade e aproveitamos para conferir o evento”, contou.

A visita, segundo o pai, foi uma estreia na vida do pequeno brasiliense. “Ele já conhecia outros pontos turísticos, mas ainda não tínhamos vindo com ele à Torre de TV”, destacou o analista de faturamento.

Na sequência, às 19h20, foi a vez dos forrozeiros do Trio Siridó se apresentarem com zabumba, triângulo e sanfona — seguidos pela cantora Cris Pereira e um quarteto de músicos que representaram o samba brasiliense com o show Folião de Raça.

Em Brasília desde 1971, a carioca Jorcelyna Cardoso, de 72 anos, levou um banquinho para descansar entre um show e outro. Ela foi convidada para o evento por uma amiga e se surpreendeu positivamente com a festa de aniversário da cidade. “Brasília me deu muitas oportunidades, e sou grata”, declarou a aposentada, que teve dois dos três filhos nascidos na capital federal.

Nos intervalos, quem garantiu o som foi o DJ Barata, selecionado por chamamento público da Secretaria de Cultura, assim como o Trio Siridó e a Cris Pereira.

Orquestra Sinfônica e Renato Teixeira fazem shows no domingo

Amanhã (23), a programação da Torre de TV ficará a cargo da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, que inicia às 17h30 o concerto especial para os 57 anos de Brasília, acompanhada por estudantes de projetos sociais da rede pública de ensino.

No gramado em frente ao Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, a programação especial inclui dois artistas locais: Cacai Nunes toca às 19 horas e o grupo de choro Fernando César e Regional, às 20 horas.

Encerra as atividades do fim de semana, às 21 horas, o violeiro caipira Renato Teixeira, de São Paulo.

De acordo com a Secretaria de Cultura, foram destinados R$ 263 mil no chamamento público para as 28 atividades propostas na programação e mais R$ 10 mil na contratação do grupo Boi de Seu Teodoro.

O custo total para a contratação dos artistas nacionais ficou em R$ 327 mil. Ainda segundo a pasta, o valor total do evento, considerando gastos com infraestrutura, cachês, passagens aéreas e exposições é de aproximadamente R$ 1,8 milhão.

 

COMENTÁRIOS