compartilhar

CRISE HÍDRICA: Obra de emergência para captar água do Lago Paranoá recebe licenças de construção

Com isso, Caesb fica autorizada a implementar nova estrutura e fazer modificações no meio ambiente. 'Já começaram a limpar a área, mover terra e cercar o terreno', diz presidente da companhia.

A estação de emergência para captar água do Lago Paranoá, em Brasília, recebeu na sexta-feira (5) as licenças ambientais e de instalação que autorizam as obras. Com isso, a Caesb fica autorizada a implementar a nova estrutura e fazer modificações no meio ambiente, incluindo podar árvores.

O presidente da companhia de abastecimento do Distrito Federal, Maurício Luduvice, disse ao G1 que o canteiro de obras passou a se "movimentar" na própria sexta. "Já começaram a limpar a área, mover terra e cercar o terreno", afirmou. "Acho que tanto nós quanto a empreiteira têm todo o interesse em mobilizar e acelerar o processo."

Trecho do Diário Oficial que traz autorizações para Caesb implementar obra no Lago Paranoá (Foto: Reprodução)

A Enfil S/A Controle Ambiental ganhou o pregão para implementar a estação propondo R$ 42 milhões (cerca de 15% a menos do que a previsão inicial). A empresa tem até setembro para entregar a estrutura, sob risco de multa. A verba para construí-la vem do governo federal.

Outros gastos para enfrentar a crise hídrica vão ser financiados com a tarifa de contingência, que deixa a água 20% mais cara, sempre que for ultrapassado o limite mínimo de consumo – para casas e comércios, esse valor é de 10 mil litros ao mês. Em quatro meses, a taxa rendeu R$ 31,90 milhões à Caesb.


Segundo Luduvice, por enquanto, o dinheiro está mantido intacto. "A gente não pediu [ainda para usá-lo], mas já estamos comprando produtos como bombas e tubos", afirmou. A intenção é pedir em seguida o ressarcimento para os cofres da empresa.

Com a chegada da seca, o presidente da Caesb reforçou o alerta. "A chuva que vier a partir de agora vai ser residual. Agora o que teremos de fazer é a gestão do estoque de água. Por isso, é fundamental economizar, tanto no meio urbano quanto no meio rural."


Entenda

 

No pregão, a Enfil ficou em segundo lugar. Ela só foi escolhida porque uma empresa de pequeno porte tinha apresentado um preço menor, mas foi desclassificada porque ficou avaliado que ela não daria conta de fazer a obra. A estrutura vai permitir captar 700 litros por segundo.

Ainda de acordo com Luduvice, o modelo de captação é semelhante ao usado no Oriente Médio para retirar água do mar, em região desértica. Como o governo tem previsão de fazer uma outra obra a longo prazo e definitiva no Lago Paranoá, esta estrutura emergencial deve ser desativada. "Mesmo com a obra desativada, a estrutura pode ser reaproveitada em outros espaços", continuou o presidente.


No começo do mês, ficou definido que o valor da conta de água vai ser reajustado em 3,1% a partir de junho. A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento (Adasa) publicou o índice tarifário anual na última terça-feira (2).

De acordo com a agência, o reajuste tarifário anual dos serviços públicos de saneamento básico faz parte do contrato de concessão da Caesb e tem o objetivo de “manter o equilíbrio financeiro da empresa”.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS