compartilhar

NOVA PARALISAÇÃO: A promessa é parar de novo na 4a. caso não sejam cumpridos acordos após greve de sábado

As empresas alegam que a dívida do GDF com elas chega a R$ 200 milhões. Devido Aos atrasos nos repasses do governo, as empresas afira que não conseguem cumprir com o pagamento da folha salarial.

Rodoviários das quatro empresas que paralisaram os trabalhos no último sábado podem voltar a cruzar os braços na próxima quarta (24), caso as empresas não realizem os pagamentos prometidos. O acordo é que a cesta básica seja paga ainda hoje e o salário com o auxílio alimentação amanhã.

 

Os funcionários que aderiram à paralisação cobravam o depósito do adiantamento de 40% do salário, que deveria ter sido pago na semana passada. Eles só voltaram aos trabalhos ontem, depois que a Secretária de Mobilidade entrou nas negociações e as empresas prometeram que os pagamentos seriam realizados.

 

No sábado, apenas motoristas e cobradores da Piracicabana trabalharam. A empresa atua em Sobradinho I e II, Planaltina, Cruzeiro, Lago Norte, Sudoeste, Octogonal, Varjão e Fercal. Nas demais regiões, as únicas alternativas foram o transporte pirata e os micro-ônibus - que fazem rotas curtas - atendiam à população.

 

Dívidas

 As empresas alegam que a dívida do Governo do Distrito Federal com elas chega a R$ 200 milhões. Devido Aos atrasos nos repasses do governo, as empresas afira que não conseguem cumprir com o pagamento da folha salarial.

 

Em nota, a Secretária de Mobilidade informou que o governo está cumprindo o cronograma de pagamento as empresas. A pasta alegou que, só neste mês, repassou R$ 34 milhões, restando pagar ainda R$ 11 milhões.

 

A pasta alega ainda que há um dívida referente ao ano de 2016, no valor de R$ 56 milhões com as empresas, mas que está em negociações com as mesmas.

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS