compartilhar

VIA ESPLANADA: Eixo Monumental será fechado a partir da 0h desta quarta (24/5) por causa de protestos

Motivo são as manifestações marcadas para começar pela manhã. Manifestantes também devem passar por revista pessoal

Por conta da marcha #OcupaBrasília, marcada para esta quarta-feira (24/5), os dois sentidos do Eixo Monumental estarão fechados a partir da meia-noite.

 

Serão interditados os trechos entre a Rodoviária do Plano Piloto e a via L4 Sul. Os acessos de ministérios e das Avenidas L2 Sul e Norte à Esplanada também ficarão bloqueados.

Como alternativa aos motoristas, a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social recomenda a circulação pelas vias S2 e N2, localizadas atrás dos ministérios.

Outra medida que deve ser retomada nesta quarta é a realização de revistas pessoais.


Segundo a SSP-DF, haverá cordões de policiais militares próximos aos ministérios e à Catedral. As abordagens serão feitas especialmente no início do ato, no momento em que os manifestantes estiverem chegando à Esplanada.Felipe Menezes/Metrópoles

 

Os participantes do protesto não poderão levar hastes de bandeiras, garrafas de vidro, madeira, ou outros objetos cortantes e/ou perfurantes.

 

A SSP afirma que 10 grupos organizadores do protesto, que protocolaram os eventos até o fim da manhã desta terça-feira (23), foram orientados das restrições e devem repassá-las para o público.


De acordo com a pasta, as medidas têm caráter preventivo e permitem um maior controle das vias e espaços públicos. Ainda segunda a SSP, providências estão previstas no Protocolo Tático Integrado (PrTI) das Manifestações, assinado no mês passado por GDF, Congresso Nacional e governo federal. O documento estabelece competências dos órgãos signatários antes, durante e depois de atos populares com grande adesão de público na Esplanada.


A manifestação desta quarta-feira (23) pede a saída do presidente Michel Temer e o início da concentração está previsto para as 11h, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Às 14h, o grupo faz marcha em direção ao Congresso Nacional.

 

Fonte: *Por:Pedro Alves/Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS