compartilhar

OPERAÇÃO PANATENAICO: Agnelo chega à Polícia Federal quase 10 horas depois de ser preso pela Polícia Federal

De acordo com o advogado do petista, Agnelo ficou “consternado” com a prisão

Entre os 10 presos na operação Panatenaico, da Polícia Federal, o ex-governador Agnelo Queiroz (PT) foi o último a ser levado para a sede da corporação, no Setor Policial Sul.

 

Os mandados de prisão começaram a ser cumpridos às 6h desta terça-feira (23/5), mas o petista chegou à PF às 15h40.


De acordo com o advogado de Agnelo Queiroz (abaixo), Paulo Guimarães, a demora para que o petista fosse levado para a PF deveu-se às buscas feitas na casa dele, no Setor de Mansões Dom Bosco (SMDB).

 

Daniel Ferreiraa/MetrópolesSegundo Guimarães, o ex-governador ficou “consternado” com o pedido de prisão feito pela delegada da Polícia Federal Fernanda Costa de Oliveira e deferido pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal.

Na chegada à PF, um carro da corporação posicionado na entrada da sede dificultou as imagens do ex-governador. No pedido de prisão, o petista é apontado como o gestor que retirou todos os obstáculos para a construção do Mané Garrincha.


 

“Agnelo, segundo os lenientes e colaboradores, recebeu milionária propina, por meio de seu interlocutor mais usual, Jorge Luiz Salomão”, ressaltou o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, em um dos trechos de sua decisão que colocou atrás das grades dois ex-governadores e um ex-vice-governador do DF.


Durante delação da Andrade Gutierrez, no âmbito da Operação Lava Jato, o colaborador Rodrigo Leite Vieira relatou entrega em dinheiro no canteiro de obras do Mané Garrincha. O responsável por receber a quantia e repassar a Agnelo seria o empresário Jorge Luiz Salomão.

 

Fonte: *Por:Marcia Delgado/Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS