compartilhar

AEDES AEGYPTI: Secretaria de Saúde registra queda de 88por cento nos casos de dengue na população brasiliense

Até 20 de maio, houve 1.828 notificações prováveis da doença. No mesmo período de 2016, foram 15.992

De janeiro até a semana epidemiológica 20 (de 14 a 20 de maio), a Secretaria de Saúde computou 1.828 casos prováveis de dengue em residentes do Distrito Federal.

 

O número representa uma queda de 88,5% em relação ao mesmo período do ano passado: 15.992.


Divulgado nesta quarta-feira (24), o Informativo Epidemiológico nº 21 também registrou 297 notificações prováveis da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti em moradores de outras unidades da Federação.


Do total de ocorrências prováveis, 84% concentram-se nas seguintes Regiões Administrativas: Planaltina, Samambaia, São Sebastião, Gama, Ceilândia, Santa Maria, Taguatinga, Guará, Sobradinho II, Estrutural, Sobradinho, Recanto da Emas, Itapoã e Paranoá.


Distribuição por faixa etária e morte

O boletim aponta ainda que a maioria das incidências foi na faixa etária de 20 a 49 anos (60,40%). Em seguida, aparece a de menor que 1 a 19 anos (20,52%) e a de 50 a mais de 80 anos (19,08%). Crianças menores de 5 anos representam 2,44%.

Até a semana epidemiológica 20, foram registrados sete casos graves e uma morte por dengue. No mesmo período, em 2016, houve 37 ocorrências graves e 20 óbitos em residentes na Grande Brasília.


Segundo a Secretaria de Saúde, a paciente que morreu tinha 80 anos e era moradora de Sobradinho. O diagnóstico foi confirmado por exame laboratorial em 17 de maio.

 

De acordo com a pasta, a idosa tinha sido internada na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Regional de Santa Maria em 8 de abril e faleceu em 18 de abril.

Ainda conforme o informativo epidemiológico, identificaram-se 53 casos da doença aguda pelo zika vírus — 37 moram no DF e 16, em outras unidades da Federação. Não há casos confirmados em gestantes de Brasília.

 

COMENTÁRIOS