compartilhar

SOBROU PRO CONTRIBUINTE DISTRITAL: Prejuízos do GDF após manifestação chegam a R$ 200 mil

Orçamento prévio divulgado pelo governo inclui depredações em estruturas públicas da Esplanada, como placas, semáforos e paradas de ônibus. Danos nos prédios dos ministérios não estão incluídos.

Os prejuízos ao Governo do Distrito Federal causados por manifestantes que depredaram estruturas públicas na Esplanada dos Ministérios durante a manifestação contra Michel Temer nesta quarta-feira (24) chegam a cerca de R$ 200 mil, segundo balanço preliminar do GDF.

Gastos dos ministérios não estão incluídos – Advocacia Geral da União pede responsabilização financeira de centrais sindicais.


O governo informou que, somente com equipamentos de sinalização viária – como placas, cones, semáforos e cercas –, o Departamento de Trânsito (Detran) teve prejuízo orçado em R$ 102,7 mil. Bicicletas públicas, paradas de ônibus, placas e a Rodoviária do Plano Piloto também foram alvo de vândalos.


O Detran contabilizou, ainda, 25 placas de trânsito danificadas que precisaram ser substituídas e outras 12 que foram recuperadas no local com o custo aproximado de R$ 14 mil.

 

O levantamento também aponta outros R$ 40,9 mil de prejuízo com reparação ou substituição de seis semáforos e dois controladores, 15 lâmpadas de LED, cinco lâmpadas de alerta para pedestres e dez "viseiras" de semáforo.


A Secretaria de Mobilidade informou que 28 bicicletas públicas foram danificadas na Esplanada – sendo 16 danificadas, oito completamente destruídas e quatro queimadas. O prejuízo foi orçado em R$ 42 mil.


A pasta informou que as bicicletas são fornecidas à população por meio de sistema de compartilhamento promovido pela secretaria e custeado por uma empresa privada, sem "qualquer aporte financeiro do GDF". Segundo o órgão, não há previsão para reposição das bicicletas.

Também foram depredadas 11 paradas de ônibus nas calçadas dos Ministérios, que tiveram 62 vidros e 42 lâmpadas quebrados. O GDF informou que a Cemusa, empresa contratada para fazer a manutenção, "está recolhendo o material danificado e trabalhando nos reparos".


Neste balanço preliminar, divulgado pelo governo, não estão contabilizados equipamentos das forças de segurança do DF. Órgãos como a Companhia Energética de Brasília (CEB) e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) ainda não haviam finalizado o balanço até a publicação desta reportagem.


 

Nos ministérios

Manifestantes que protestam contra Michel Temer colocam fogo no prédio do Ministério da Agricultura, em Brasília (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

Alguns ministérios, que tiveram vidros, portas e móveis depredados, passaram por perícia nesta quinta-feira (25) para verificar a dimensão dos estragos provocados por manifestantes.

 

Os mais afetados pela ação dos vândalos foram os ministérios da Cultura e Meio Ambiente, da Integração Nacional e da Agricultura, que foram incendiados.


O Ministério do Planejamento Desenvolvimento e Gestão informou ao G1 que os prejuízos causados pelas depredações foram orçados em R$ 330.979,31. Somente para vidros com película e espelhos, o custo de reparo será de R$ 110 mil.

Os gastos com móveis devem chegar a R$ 140 mil e a compra de novos computadores vai custar R$ 55 mil. O restante do orçamento inclui persianas, equipamentos de ar condicionado, elevadores, forros e pinturas.


No Ministério de Minas e Energia foram quebrados 31 vidros, uma persiana, um computador e um aparelho de ar condicionados danificados, além de três placas de sinalização arrancadas. O prejuízo foi orçado pela pasta em R$ 19 mil.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS