compartilhar

ORIGEM DA PROPINA: Onde tudo começou, BRT opera com pendências. Delações apontam esquema para a obra

Conforme os relatos, o então presidente do Metrô ajustou o edital para favorecer o consórcio formado pela empreiteira com a Via Engenharia, Setepla e OAS

De acordo com a delação de executivos da Andrade Gutierrez, a negociação para a construção do BRT Sul começou em 2007, no governo de José Roberto Arruda (PR). Conforme os relatos, o então presidente do Metrô-DF, José Gaspar de Souza, ajustou o edital para favorecer o consórcio formado pela empreiteira com a Via Engenharia, Setepla e OAS.

A execução da obra ocorreu no governo de Agnelo Queiroz (PT). Os relatos indicam que a Andrade Gutierrez repassaria 2% dos ganhos da empresa pela obra ao PT e outros 2% ao PMDB. Os relatos confirmam 19 repasses.

 

Prisão

Os ex-governadores e seus interlocutores estão presos desde a última semana no âmbito da Operação Panatenaico, que apura esquema de propina na obra do Mané Garrincha. De acordo com o inquérito, o esquema do BRT Sul ocorreu pelo mesmo grupo criminoso e será apurado paralelamente.

A prisão é temporária, até a próxima sexta-feira (2), podendo ser prorrogada. No último sábado, os políticos foram transferidos da Superintendência da Polícia Federal para o Departamento de Polícia Especializada a pedido de advogados pela "falta de espaço". Eles estão na mesma cela.

 Resultado de imagem para brt brasilia df

Após mais de três anos de inauguração, a obra do BRT Sul, que liga Santa Maria e Gama ao Plano Piloto, acumula irregularidades. Além de ser alvo da Polícia Federal por superfaturamento e suposto esquema de propina, o expresso ainda opera com o projeto incompleto.Resultado de imagem para estações brt brasilia df

Inaugurado em abril de 2014 com quase cinco meses de atraso, as operações excluíram quatro estações que nunca funcionaram: Catetinho, Granja do Ipê, Vargem Bonita e SMPW. O abandono nas estruturas favoreceu o vandalismo. As estações possuem pichações e vidraças quebradas. O projeto previa ainda painéis eletrônicos em todas as estações, que não foram instalados.

Resultado de imagem para estações brt brasilia dfSegundo a Secretaria de Mobilidade, a ativação das estações inativas e a instalação dos painés eletrônicos ocorrerá até o final do ano. Já o conserto dos danos das estruturas aguarda uma nova licitação, já que o contrato com o consórcio construtor venceu em 2011, ainda antes da inauguração.

Desde que o contrato com o consórcio perdeu a validade, é o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) o responsável pela continuidade da obra. Orçada em RS 587 mihões, a obra custou RS 750 milhões em recursos do governo federal. Auditoria da Controladoria-Geral do DF confirmou o superfaturamento.

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS