compartilhar

OPERAÇÃO PANATENAICO: Desembargador nega soltura do ex-governador Agnelo preso no DPE

AGNELO É ACUSADO DE PARTICIPAR DO SUPERFATURAMENTO DO ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA

DESEMBARGADOR NEGA PEDIDO DE TUTELA DE URGÊNCIA FEITA PELA DEFESA DO EX-GOVERNADOR AGNELO QUEIROZ; PETISTA DEVE FICAR PRESO ATÉ, PELO MENOS, ESTA QUINTA (1)


Preso temporariamente na última terça (23), na Operação Panatenaico, o ex-governador do DF Agnelo Queiroz teve soltura negada pelo desembargador federal Hilton Queiroz.

A defesa de Agnelo recorreu ao Tribunal Regional Federal (TRF), mas a tutela de urgência foi negado.

 

Agnelo Queiroz é acusado de contribuir para o superfaturamento de R$ 900 milhões da obra do Mané Garrincha.

O ex-governador segue detido até, pelo menos, esta quinta (1/6). No Departamento de Polícia Especializada (DPE), o petista divide uma cela com banheiro e faz três refeições diárias. 


Além de Agnelo, estão presos o também ex-governador José Roberto Arruda (PR), o ex-vice-governador e ex-assessor de Temer Tadeu Filippelli (PMDB) e sete ex-gestores do GDF. 


Prisão prorrogada

No último sábado (27), o Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF) encaminharam à Justiça um pedido de extensão de cinco dias à prisão temporária dos presos na Operação Panatenaico. "Após análise prévia das apreensões e depoimentos tomados, a Polícia Federal avaliou existirem os pressupostos necessários à prorrogação das medidas", informa um comunicado da PF enviado à imprensa. 


No mesmo dia, a Justiça acatou o requerimento e prorrogou a prisão dos acusados por mais cinco dias. Na decisão, o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), negou ainda os pedidos de liberdade provisória apresentados por nove dos custodiados.

 

Fonte: *Via Diário do Poder/Clipping

COMENTÁRIOS