compartilhar

JANELA INDISCRETA E OS AMIGOS PARA SEMPRE: Vem aí o blocão do DPE

Confira os bastidores das principais notícias de Brasília neste ainda comecinho de semana

Se não deixarem a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE) arruinados politicamente, os colegas de cela montam uma chapa.

Dividem os aposentos Arruda, Agnelo, Filippelli, Cláudio Monteiro e Nilson Martorelli. Na turma, tem até financiador.

À frente da Via, Fernando Queiroz foi um dos empresários que mais investiu recursos nas campanhas políticas do Distrito Federal.

De 2006 a 2014, a empreiteira aumentou suas doações em 300%, chegando a aportar R$ 9,5 milhões na causa. Só a força-tarefa para eleger Agnelo contou com vigorosos R$ 3,7 milhões da empreiteira.


Quem foi rei não perde a majestade

Outros três investigados da Panatenaico ficaram acomodados numa cela improvisada. Antes de virar cárcere, o espaço, de apenas 3m², era um almoxarifado próximo à garagem. Lá estão Sérgio Lúcio de Andrade, Jorge Salomão e Afrânio Filho. Um dos três dorme no chão. Os vizinhos ex-governadores estão mais bem-acomodados.

Resultado de imagem para ARRUDA AGNELO FILIPPELLI df

Quebrando o gelo
Presos há uma semana, os ex-governadores do DF conseguiram uma condição menos dramática do que quando estavam na superintendência da Polícia Federal. O banho no DPE não é congelante. Mas a colher de chá, neste caso, vem do céu. É que a caixa d’água fica exposta ao sol durante todo o dia.

Quem canta seus males espanta?

Quando o bicho pega, Rogério Rosso (PSD) corre e agarra sua guitarra. Os últimos dias não foram fáceis para o deputado federal cujo nome foi citado em delações da Andrade Gutierrez que expõem um esquema de pagamento de propina durante as obras do Mané Garrincha. Para aliviar a pressão, o ex-governador começou a compor uma nova canção. Se tudo der errado com o grupo político do qual fez parte e que agora pode lhe complicar, ele leva jeito para a carreira solo.

Esfinge

 

Daniel Ferreira/Metrópoles

O autor da escultura em mármore que enfeita a entrada da mansão onde mora Aécio Neves em Brasília reivindicou a assinatura da obra de arte. Gaúcho, Clécius Coser telefonou de Curitiba para desfazer o mistério sobre quem esculpiu a peça. “Tenho muitos clientes em Brasília, políticos, advogados”, contou. A obra posicionada como um cartão de visitas no bunker de Aécio foi comprada pelo proprietário do imóvel, o empresário Leonardo Landim. Na tabela atual, custaria cerca de R$ 20 mil, menos que o aluguel (R$ 25 mil) da casa mantida pelo senador agora afastado.


 

Neves sob o teto dos Landim
Leonardo Landim, o locador da mansão mantida por Aécio Neves em Brasília, mora na Itália e é filho de Cecília Landim, ex-secretária de Administração no governo de Joaquim Roriz, de quem sempre foi muito próxima. A ex-gestora foi alvo de uma auditoria do Tribunal de Contas do DF, em 2011. Os investigadores apontaram prejuízo de R$ 4,49 milhões na locação de 600 veículos em contrato com a Linknet, firmado em 2006, quando ela chefiava a pasta.


Fiquem com Deus. Fui…
Sem alarde, o pastor evangélico Caio Fábio passou dois dias preso na Papuda. Entre quarta (24/5) e sexta (26), quando conseguiu um habeas corpus. A notícia só circulou no meio gospel, onde a mulher do pastor confirmou a prisão e, ele mesmo, em vídeo (abaixo), avisou os fiéis sobre sua soltura: disse ter passado o período cumprindo “missão” junto aos detentos. Caio Fábio foi investigado e condenado por falsificação e calúnia em 2011, mas o cumprimento da pena só saiu agora. Ele seria o responsável por produzir o Dossiê Cayman, divulgado pelo PT às vésperas das eleições de 1998, ligando uma empresa e contas no paraíso fiscal a FHC, então presidente da República e candidato à reeleição.

 

 

Chapa quente
Em grupo de WhatsApp, o ex-presidente da OAB e atual conselheiro nacional da Ordem Ibaneis Rocha foi rápido no gatilho. Um dos integrantes da congregação virtual jogou na rede que, segundo matéria de jornal, o governador Rollemberg havia recebido dinheiro da JBS, conforme denúncia de Saud (delator). “Será que a OAB do DF vai ter coragem de pedir impeachment? Ou tem algo que os impede, uma vez que o nome do Dr. Juliano foi mencionado na delação”, provocou. Ibaneis respondeu prontamente: “A OAB-DF não tem rabo preso com ninguém. Se houver evidências, não teremos o menor receio de pedir o impeachment do governador”.

Sentou, sorriu

A conta dividiu

Arquivo pessoal


Em 8 de julho de 2011, Júnior da Friboi, o irmão mais velho da dupla incendiária Joesley e Wesley Batista, se filiava ao PSB. Estava cercado de correligionários, como o então presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos (falecido em acidente aéreo), e o ainda senador pelo DF, Rodrigo Rollemberg. Na época, colar nos irmãos Friboi era sinônimo de fartura e prosperidade. Hoje, sabe-se, essas ligações se tornaram explosivas. Todos querem distância.

 

Fonte: *Por:LILIAN TAHAN/MANOELA ALCÂNTARA/CARLOS CARONE/Edição:Ana Helena Paixão/Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS