compartilhar

"A CARNE É FRACA": Ação contra roubo de carne prende servidora do GDF e 4 policiais de GO

Outros cinco suspeitos foram presos; operação recolheu 20 t de mercadoria. Grupo roubava cargas no DF, GO e MG e repassava a comércios da Grande Brasília.

Uma operação conjunta entre as polícias do Distrito Federal e de Goiás terminou com a apreensão de 20 toneladas de carne roubada de caminhões e a prisão de dez suspeitos, incluindo quatro policiais civis de Goiás e uma servidora do GDF.

 

 

Segundo a Polícia Civil de Brasília, outras 15 toneladas da mercadoria foram identificadas, mas não foram encontradas.

 

A corporação informou que o grupo usava carros e caminhonetes importados e forte armamento para roubar cargas em Goiás,  Minas Gerais e no Distrito Federal. Os produtos eram comercializados para redes de vendas de alimentos na Grande Brasília.


A operação teve início em 30 de dezembro, quando a polícia prendeu dois suspeitos de interceptar cargas no Gama, em Santa Maria e em  São Sebastião. No último sábado (30), os policiais prenderam sete pessoas.

 

A carga roubada vinha de Alexânia e Inhúmas, ambas em Goiás. Na ação foram recolhidos um caminhão de carga cheio de óleo vegetal e 2,2 mil caixas de cerveja.


O delegado-chefe da DRF, Fernando César da Costa (Foto: Isabella Calzolari/G1)

O delegado-chefe da DRF, Fernando César da Costa

Segundo o delegado-chefe da Delegacia de Roubos e Furtos, Fernando César Costa, após os crimes os envolvidos abandonavam as vítimas no meio da estrada. "Quando as carnes eram roubadas, as mercadorias já tinham destino certo. O que chama atenção era a estrutra do frigorífico clandestino face aos negócios regulares que um dos envolvidos tem em São Sebastião."


A polícia afirma que há indícios de que os criminosos agiam há dois anos. Os policiais que integram o grupo foram detidos no momento em que extorquiam R$ 20 mil dos envolvidos, para que não fossem presos por receptação.


A servidora do GDF detida auxiliava nas negociações da organização, segundo a polícia. Ela trabalha como agente de integração social de menores infratores. Um dos criminosos era proprietário de dois açougues em São Sebastião e vendia os produtos roubados nos estabelecimentos.


Veículo utilizado por grupo para realizar os roubos de cargas (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Veículo utilizado por grupo para realizar os roubos de cargas

O grupo tinha um galpão com três câmaras frigoríficas usadas para armazenar as mercadorias em uma casa, em São Sebastião.

Um funcionário do comércio chegou a ser detido, mas foi liberado após pagar fiança.

Os suspeitos estão detidos na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE), da Polícia Civil do Distrito Federal, onde aguardam julgamento. Eles serão indiciados por receptação qualificada e corrupção passiva.

 

Fonte: *G1 - Clipping

COMENTÁRIOS