compartilhar

ENFIM, UMA NOTÍCIA BOA: Casos prováveis de dengue caíram 85,2 por cento em 2017 na Grande Brasília

Boletim divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (14) traz 2.467 ocorrências da doença no Distrito Federal. No mesmo período de 2016, o número chegou 16.714

Brasília registrou 2.467 casos prováveis de dengue até 12 de junho.

Os números representam 85,24% a menos em relação ao mesmo período de 2016, quando foram notificadas 16.714 ocorrências da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.


O dado é referente a residentes do Distrito Federal. No caso de pessoas que moram em outras unidades da Federação, foram computadas 405 ocorrências prováveis neste ano.

Em 2016, o montante era de 2.051, ou 80,2% a mais.


Os dados são do Boletim Epidemiológico nº 24, divulgado nesta quarta-feira (14) pela Secretaria de Saúde.


Das notificações prováveis, 84% (20.078) estão concentradas nas cidades-satélites: Ceilândia, Gama, Guará, Itapoã, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho II, Sobradinho e Taguatinga, além da Vila Estrutural.


O número de mortos entre residentes do Distrito Federal também diminui consideravelmente neste ano. Foram registrados nove casos graves e três óbitos em 2017. No mesmo período de 2016, ocorreram 39 casos graves e 21 mortes na cidade.

Casos de zika e chikungunya na Grande Brasília

A febre chikungunya apresentou 89 incidências prováveis em moradores do DF em 2017, contra 332 em 2016.

Neste ano, a maioria deles está registrada em Ceilândia, Guará, Samambaia, Santa Maria e Taguatinga, regiões que, juntas, somam 52% das notificações.


Outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, a contaminação provável pelo zika vírus foi registrada em 55 moradores brasilienses no ano passado, e 310 neste. A concentração de 76% dos casos de 2017 está no Gama e em Samambaia, Santa Maria e Planaltina. Um deles foi confirmado em uma gestante.

Veja a íntegra do Boletim Epidemiológico nº 24.

 

COMENTÁRIOS