compartilhar

UMA TIGRESA DE UNHAS CINZAS: Se chamava Laila, e morava no Zoológico de Brasília, morreu hoje aos 21 anos

Laila era a mais temperamental dos três tigres de Bengala nascidos no Zoo. Felina, que já sinalizava problemas de saúde nos últimos meses, integrava o programa de reprodução de espécies ameaçadas, do Zoológico de Brasília

A tigresa Laila, da Fundação Jardim Zoológico, morreu na manhã de sábado (24/6) aos 21 anos.

O animal superou a expectativa média de vida da espécie que é de 14 anos. Laila já sinalizava problemas devido à idade e apresentou uma falência renal.

 


A tigresa passou por um exame completo de rotina há cerca de 40 dias e, de acordo com o diretor do Zoológico, Gerson Norberto, veterinários que cuidavam do animal haviam alterado a medicação para que Laila se sentisse melhor.

Resultado de imagem para tigresa Laila, df brasilia zoo

O diretor lembra que o Zoológico tem um papel concreto a desempenhar no plano da Conservação das Espécies. Laila fazia parte do programa de reprodução de animais ameaçados do zoo, feito para garantir o bem-estar e reprodução dos bichos.

 “O zoo realiza pesquisas a respeito das espécies sob seus cuidados, muitas vezes em parceria com instituições de pesquisas nacionais e internacionais, e também faz atividades em Educação Ambiental, aumentando a consciência e o conhecimento do público sobre os desafios da preservação fauna silvestre”, frisa.

Atuais tigres
Agora, o local trabalha com três tigres de bengala. O trio nasceu no zoológico e já é a segunda geração de felinos. Filhos dos Hanny e Sultão, cada um tem personalidade própria. De acordo com o tratador, Antônio Paulo Soares, que há mais de 30 anos se dedicando aos animais, a Laila sempre foi a mais temperamental.


Para Norberto, os zoológicos são indispensáveis para salvar a biodiversidade. “Nenhum outro lugar tem mais conhecimento para produzir uma população capaz de sobreviver, a partir de poucos exemplares de uma espécie”, pontuou.

 

COMENTÁRIOS