compartilhar

MAIS QUE R$ 30 MIL: Supersalários voltarão a ser pagos a servidores da Câmara Distrital

Com cargos na Casa e aposentadorias de outros órgãos, funcionários poderão somar remunerações mesmo que elas ultrapassem R$ 30,4 mil

Servidores aposentados que ainda trabalham na Câmara Legislativa voltarão a receber proventos acima do teto constitucional, de R$ 30.471 por mês.

 

Eles buscaram o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) para serem beneficiados, por meio de mandados de segurança, pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que permite a acumulação de salários em cargos autorizados.

A 5ª Vara da Fazenda Pública acolheu o pleito e deu ganho de causa aos servidores do Legislativo local.

Resultado de imagem para R$ 30 mil

Em fevereiro deste ano, a Mesa Diretora da Câmara Legislativa acolheu determinação do Tribunal de Contas do DF (TCDF) para limitar os ganhos dos funcionários da Casa.

Até o momento, quatro servidores que acumulam os vencimentos da Câmara com as aposentadorias de outros órgãos, cuja soma fica acima do teto constitucional, já conseguiram a reversão da glosa determinada pelo TCU.


Nas decisões da 5ª Vara, assinadas por magistrados diferentes, o entendimento comum foi de que “remuneração de cargo comissionado, tal como é a situação do impetrante, deve observar individualmente a remuneração relativa a cada vínculo, e não o somatório de todas elas”. Um dos beneficiados, que preferiu não se identificar, comemorou, reiterando: “Cada salário não pode passar do teto constitucional, mas, somados, não há problema se o teto for vencido”.

Na rebarbaResultado de imagem para R$ 30 mil
Outros cinco servidores, informados da decisão da Justiça em favor do pessoal da Câmara Legislativa, entraram com processo administrativo, pedindo que a sentença seja estendida a eles.

A análise deverá ser feita pela Procuradoria-Geral da Casa, responsável pelo parecer que confirmou a orientação do TCDF.


À época em que foi assinada, a redução nos ganhos não atingiu os deputados distritais, entre eles Raimundo Ribeiro (PPS), Wellington Luiz (PMDB) e Agaciel Maia (PR), que também acumulam aposentadorias com os subsídios pagos pelo Legislativo local.

Até a publicação desta matéria, a Câmara Legislativa ainda não havia se posicionado sobre a liberação do TJDF.

 

 

Fonte: *Por:Suzano Almeida/Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS