compartilhar

OCORRÊNCIAS CIBERNÉTICAS: Delegacia Especial em Brasília registrou 82 crimes virtuais em 2 meses

Os casos ocorrem em todas as faixas etárias.

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal inaugurou há dois meses a primeira Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

 

Neste período, o departamento já registrou 82 ocorrências na capital federal. A maioria dos crimes é relacionada a contas de redes sociais hackeadas e ameças de criminosos após o vazamento ou envio de fotos íntimas.

 

DF registra 82 crimes virtuais em 2 mesesSegundo o delegado da DRCC, Giancarlos Zuliani, a maioria das vítimas tem a conta em rede social invadida por pessoa próxima. "Geralmente a vítima conhece a pessoa ou deixa a senha salva automaticamente em algum computador", explica.

 

Imagem relacionadaQuanto ao crime envolvendo fotos íntimas, o delegado destaca que é comum as imagens virarem instrumento de extorsão. "A pessoa pede dinheiro para não vazar a foto", explica. Uma das vítimas chegou a pagar R$ 6 mil.

"Pedem R$ 1,5 mil e daqui uma semana mais R$ 2 mil e assim por diante", conta Giancarlos. Uma das principais dicas é evitar compartilhar esse tipo de imagem. "Mesmo excluindo do celular há softwares que recuperam as fotos", disse.

 Resultado de imagem para crime cibernético

Além disso, a DRCC também vem investigando casos de sequestro de dados em troca de dinheiro por meio do vírus hansonware. "Nem todo mundo procura a polícia, mas temos três casos que ocorreram em escritórios de advocacia e clínicas", relata.


Resultado de imagem para crime cibernéticoA DRCC priorizou nos primeiros meses a troca de experiência com delegacias de outros 15 estados para definir suas atribuições.

 

Além dos crimes contra a honra e invasão de dispositivos, o departamento cuida de delitos contra o patrimônio e estelionato.


A delegacia possui 16 servidores e passa por treinamento semanal para aprimorar os procedimentos de investigação.


Resultado de imagem para crime cibernético


Resultado de imagem para crime cibernético

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS