compartilhar

SUBSTITUINDO VIDRO POR PLÁSTICO: Garrafas de vidro não são recicladas em Brasília

A coleta seletiva do GDF ocorre em apenas 5 regiões administrativas do Distrito Federal

Sem um sistema de recolhimento específico para as embalagens de vidro, especialmente as garrafas que armazenam bebidas, cresce no Distrito Federal o número de estabelecimentos que têm optado por não vender produtos com este tipo de embalagem.

 

Só no último mês, pelo menos quatro restaurantes aderiram ao movimento para substituir as bebidas em garrafas de vidro pelas que são armazenadas em latas. Assim como o plástico, as latinhas são recicláveis.

 

A motivação surgiu pela falta de coleta das embalagens de vidro, que se unem ao lixo comum no Distrito Federal. Além disso, a ausência de reaproveitamento das garrafas pelas empresas deixa o ônus do descarte para os comerciantes.

Garrafas de vidro não são recicladas no DF

Um dos restaurantes que mudou a forma de comercializar cervejas foi o Pinella, localizado na quadra 408 da Asa Norte. Segundo a proprietária do estabelecimento, Flávia Attuch, o descarte de vidro já é um problema antigo para as empresas.

 

'Há três anos que a gente tenta aplicar a logística reversa [garrafas retornáveis] e não conseguimos', afirma.

Há ainda, por lei, a responsabilização dos comerciantes que não fizerem a coleta correta dos resídios de vidro, que podem causar acidentes ao serem armazenados.


'Tudo que passar de 120 litros diários de lixo é o comerciantes que tem de pagar. Mas o nosso maior motivo para deixar de vender bebidas em garrafas de vidro é a preocupação com o meio ambiente', afirmou a proprietária.

Legislação

Enquanto os estabelecimentos tentam encontrar novas formas para evitar as embalagens em vidro, tramita na Câmara Legislativa um projeto, de autoria do deputado Chico Vigilante (PT), que pretende proibir a comercialização de qualquer tipo de bebida em embalagem de vidro que não seja retornável.


O projeto já foi aprovado em duas comissões e tem o apoio da presidente do Serviço de Limpeza Urbana do DF (SLU), Kátia Tavares. Na última semana, durante programa de entrevista do GDF, a dirigente afirmou que a coleta dos resíduos de vidro não está nos planos do governo. 'O vidro é reciclável, mas não tem nenhuma viabilidade'.


De acordo com o SLU, as embalagens de vidro recicladas não poderia ser comercializadas no Distrito Federal, uma vez que não há, nas redondezas, fábricas de vidro. Atualmente esse tipo de lixo é levado ao aterro comum, o que aumenta o risco de acidentes.

A coleta seletiva do Distrito Federal ocorre em apenas 5 regiões administrativas. O governo afirma que pretende ampliar para todas as regiões em outubro. O recomendado é separar o vidro em caixas de papelão, para evitar danos aos catadores.

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS