compartilhar

ENERGIA SOLAR: Placas instaladas pelos alunos abastecem a Fábrica Social, na Cidade do Automóvel

Governador Rodrigo Rollemberg, conheceu o sistema nesta quarta-feira (12)

Quantidade de vagas oferecidas pela Fábrica Social em cinco cursos profissionalizantes=>1.450


Em visita à Fábrica Social, na Vila Estrutural, nesta quarta-feira (12), o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, conheceu o sistema de captação de energia solar implementado por alunos do curso de instalação e manutenção de placas fotovoltaicas oferecido na instituição.

 

 

Governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, conheceu o sistema de captação de energia solar implementado por alunos do curso de instalação e manutenção de placas fotovoltaicas oferecido na instituição.

O governador Rollemberg visitou a Fábrica Social nesta quarta (12) para conhecer o sistema de

 captação de energia solar instalado por alunos da instituição.

E também outros setores, como o de confecção.

 

 

São 18 peças, divididas em três maquetes. O sistema é capaz de produzir 4,5 megawatts em potência ótima. A energia gerada abastece a rede do centro de capacitação.

 

Na ocasião, o chefe do Executivo também se comprometeu a avaliar a mudança no estatuto da Fábrica Social para permitir a formação de cooperativas de alunos. “Os recém-formados reivindicam uma mudança no marco legal para que a instituição também possa abrigar as incubadoras [projetos de incentivo à criação de pequenos negócios]”, explicou Rollemberg.


A ideia é que os estudantes recebam formação também em administração empresarial. “Isso serve para que as pessoas sejam treinadas em um modelo de gestão e empreendam seus negócios com as próprias pernas”, afirmou o governador.


Na ocasião, Rollemberg também conheceu as dependências dos outros cursos, como o da oficina de hortas urbanas e o galpão de serigrafia, onde são produzidas bandeiras e uniformes do governo do Distrito Federal.

A Fábrica Social oferece 1.450 vagas em cinco cursos: confecção de vestuário, acessórios e materiais esportivos; instalação e manutenção de placas fotovoltaicas; produção e cultivo de alimentos saudáveis em meio urbano; marcenaria com madeiras recicláveis; e construção civil.

As capacitações são direcionadas a pessoas em situação de vulnerabilidade social. As novas turmas começam em agosto.

Como se inscrever nos cursos da Fábrica Social

Os interessados precisam estar inscritos no CadÚnico — Cadastro Único de Programas Sociais do governo Federal — e residir no DF. Devem ainda ter renda per capita de até R$ 170, idade mínima de 16 anos e não ter participado de processo de capacitação e qualificação do programa Fábrica Social.


Das vagas, 85% são destinadas ao cadastro geral, 5% a pessoas com deficiência, 5% a idosos (de 60 anos ou mais) e 5% a adolescentes em conflito com a lei — de 14 a 18 anos incompletos — que já cumpriram medida socioeducativa ou que a estejam cumprindo em regime semiaberto ou aberto.


A Fábrica Social é um programa destinado a promover educação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade e visa criar oportunidades concretas de inserção no mercado de trabalho e autonomia socioeconômica.

 

COMENTÁRIOS