compartilhar

ENCERRANDO ATIVIDADES: Em Brasília, 199 lojas fecharam as portas no primeiro trimestre do ano

Embora seja alto, o número é bem menor que o registrado em igual período de 2016, quando 936 lojas encerraram suas atividades

A crise tem levado muitos comerciantes a tomarem uma medida drástica: fecharem as portas de seus estabelecimentos.

 

Segundo levantamento da Fecomércio, o Distrito Federal foi a 13ª unidade da Federação que mais perdeu lojas no setor varejista com vínculos empregatícios durante o primeiro trimestre de 2017.


No período analisado,199 estabelecimentos fecharam as portas. Apesar do número elevado, o índice ainda é menor do que o que foi apurado no mesmo período de 2016, quando a capital da República registrou um saldo negativo de 936 lojas com encerramento das atividades.


No país, foram fechados 9,9 mil empreendimentos entre janeiro e março deste ano. Já nos primeiros meses de 2016, o saldo foi bem maior: 37 mil.

Na opinião do presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, os números mostram que o pior da crise econômica ficou para trás e o comércio vem se recuperando gradativamente.


 

No âmbito do Distrito Federal, Santana explica que as vendas aos poucos começam a dar sinais positivos. “No mês de maio, o comércio brasiliense registrou crescimento de 3,85% nas vendas”, acrescenta.

Ele destaca ainda que o comércio de Brasília está mais otimista e acreditando em um ano com mais vendas do que nos últimos períodos. “O Índice de Confiança do Empresário do Comércio do DF cresceu em junho, fixando-se em 107,3 pontos. O resultado representa o quarto mês seguido acima da zona de indiferença, que é de 100 pontos. Na comparação com 2016, o índice teve alta de 25 pontos, o que realmente mostra que os empresários estão mais animados com as condições atuais da economia”, conclui.


A região do Brasil que mais perdeu lojas do varejo foi o Sudeste, com -5,004 mil de saldo negativo. A pesquisa mostra ainda que o estado de São Paulo encabeçou o ranking, com redução de -2,497 mil estabelecimentos, seguido por Rio de Janeiro (-1,833 mil), Rio Grande do Sul (-815), Paraná (-681) e Santa Catarina (-536).

O estado que registrou menor retração no número de estabelecimentos foi o Acre, com o saldo de -1 uma empresa fechada durante os primeiros meses do ano. Os segmentos que apresentaram o pior índice entre lojas abertas e fechadas, nacionalmente, foram: hiper e supermercados (-3,779 lojas fechadas), vestuário e calçados (-1,733) e artigos de uso pessoal e doméstico (-1,205).

Confira o saldo entre abertura e fechamento de empresas na Grande Brasília

1º trimestre de 2016: -936
2º trimestre de 2016: -598
3º trimestre de 2016: -614
4º trimestre de 2016: -244
1º trimestre de 2017: -199

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS