compartilhar

AEDES AEGYPTI: Secretaria de Saúde registra 3.390 casos de dengue em moradores da Grande Brasília este ano

Número representa queda de 80,16% em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 17.087 ocorrências. Dado foi divulgado nesta quarta-feira (12)

De janeiro até a primeira semana de julho, a Secretaria de Saúde registrou 3.390 casos prováveis de dengue em residentes do Distrito Federal.

O número representa uma queda de 80,16% em relação ao mesmo período do ano passado: 17.087.

No caso de pessoas que moram em outras unidades da Federação, foram computadas 478 notificações prováveis neste ano.

Em 2016, o montante era de 2.078 — 77% a mais. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (12) por meio do Informativo Epidemiológico nº 27.


As cidades-satélites administrativas que registraram o maior número de casos foram: Planaltina, Samambaia, Ceilândia, Gama, São Sebastião, Santa Maria, Taguatinga, Estrutural, Recanto das Emas e Guará.


O número de mortos entre residentes do Distrito Federal também diminuiu consideravelmente neste ano. Foram registrados nove casos graves e três óbitos em 2017. No mesmo período de 2016, ocorreram 39 casos graves e 21 mortes na cidade.

Casos de zika e chikungunya no Distrito Federal

A febre chikungunya apresentou 96 incidências prováveis em moradores brasilienses em 2017, contra 346 em 2016.

Neste ano, a maioria deles está registrada em Taguatinga, Santa Maria, Ceilândia, Guará e Samambaia.

Outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, a contaminação provável pelo zika vírus foi registrada em 47 residentes no "quadrilátero" e 18 de outras unidades da federação. A concentração de 85% dos casos de 2017 está em Santa Maria, Gama, Planaltina e Samambaia.

 

COMENTÁRIOS