compartilhar

HACKERS IMPLACÁVEIS: Computadores do GDF são invadidos por vírus que atacou rede mundial

Máquinas estão desligando sozinhas e servidores são orientados a salvar os documentos para evitar perdas de informações importantes

Com o antivírus desligado, os computadores do Governo do Distrito Federal foram invadidos pelo vírus WannaCry.

Nesta segunda-feira (24/7), máquinas estão desligando sozinhas e os servidores são orientados a salvar e fazer backup de todos os documentos importantes. Segundo o Metrópoles apurou, o ataque de hackers não se estendeu a todo o sistema do GDF.

O mesmo WannaCry foi responsável por um ciberataque mundial em maio deste ano.iStock/Reprodução

 

 A invasão atingiu mais de 100 mil organizações, em pelo menos 150 países. No Brasil, um dos alvos foi o Ministério do Trabalho, que precisou desligar os computadores até conseguir normalizar a situação.


Em nota, o GDF informou a Subsecretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Sutic) detectou uma instabilidade na rede GDFNet, na sexta (21), “provavelmente causada pela ação de vírus/malware em computadores de algumas unidades administrativas. Desde então, providências estão em andamento e novas configurações de segurança foram implementadas para evitar a propagação do problema”.


 

Segundo a pasta, até o momento, não se apurou qualquer acesso indevido ou danos a dados e informações do governo. “Os computadores afetados serão normalizados o mais brevemente possível”, destacou.

Data Center
A invasão do vírus ocorre mesmo depois de o GDF inaugurar o novo datacenter. Trata-se de uma central que guarda máquinas e dados da rede corporativa com mais espaço físico e quase o dobro da capacidade de hospedagem de sistemas e serviços em comparação com a anterior.

Foram investidos R$ 12,2 milhões para garantir mais segurança contra ataques de hackers e capacidade de armazenamento.

No ano passado, os sistemas de informática do GDF sofreram 52.031 tentativas de invasão, segundo a Secretaria de Planejamento.

Em 12 vezes, os hackers conseguiram de fato acessar os servidores.

De acordo com o governo, agora, os dados estão concentrados em um só local e com mais barreiras de proteção. São três firewall instalados para impedir a entrada de hackers e o acesso físico é feito por controle biométrico de entrada.

 

Fonte: *Por:Kelly Almeida/Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS