compartilhar

CLAQUE DA MOBILIZAÇÃO: Animadores de torcida de Rollemberg custam R$ 766 mil por ano ao GDF

Coordenação de Mobilização, composta por 15 pessoas, rebate críticas ao governador nas redes sociais e organiza apoio em eventos públicos

Em tempos de baixa popularidade, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) não tem poupado esforços para aumentar seus índices de aprovação. De olho em um segundo mandato à frente do Palácio do Buriti, decidiu investir em mobilização social e apostar em uma presença forte nas redes sociais.

 

O custo da estratégia: R$ 63.861,67 por mês, ou seja, R$ 766.340,04 ao ano. Esse é o valor para manter em campo o time responsável por reunir quórum e animar as aparições públicas. O grupo também reforça a atuação nas redes sociais.

 

Composta por 15 pessoas, a equipe de Coordenação de Mobilização é uma das nove assessorias sob comando do gabinete da Governadoria do DF. Estruturada por meio do Decreto n° 37.627, de 15 de setembro de 2016, o órgão é comandado por Ozimpio Dias de Sousa, popularmente conhecido como Ozzy.

 

Sete dos servidores e Ozzy são filiados ao PSB, segundo informações do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em sua maioria, o grupo é formado por líderes comunitários e sindicalistas. Alguns até tentaram, sem sucesso, vagas na Câmara Legislativa durante a campanha de 2014, como Jaqueline Mesquita e Marieta Soares.

 

A coordenação atua de forma independente da Secretaria de Comunicação, que trata das informações institucionais do GDF. A unidade de mobilização tem um caráter menos formal, que não está voltado nem para a execução nem para a promoção de políticas públicas. O objetivo é tentar reverberar as ações do governador.

 

Em suas páginas pessoais nas redes sociais, por exemplo, boa parte desses servidores compartilha conteúdos postados por Rollemberg e faz comentários elogiosos nas publicações do governador. Quando estão em alguma agenda pública com a presença do chefe do Executivo, são vistos com o celular em mãos, tirando fotos e gravando vídeos para postar na internet.

 

Em 23 de junho, por exemplo, Ozzy e Jaqueline acompanhavam de perto, no Palácio do Buriti, a assinatura do decreto de regulamentação da lei que pune a homofobia no DF. Ozimpio registrava a cerimônia em imagens e vídeos. 

 

A coordenação foi criada oficialmente e com a denominação atual em setembro de 2016, mas funciona desde abril do ano passado. À época composta por 11 pessoas, a equipe era chamada de Assessoria de Mobilização, e fazia parte da Coordenação de Acompanhamento Institucional da Governadoria do DF.

 

O primeiro comandante do setor foi Marlon Costa, atual subsecretário de Mobiliário Urbano e Participação Social da Secretaria de Cidades. A relação entre Marlon e Rollemberg é antiga. O subsecretário trabalhava com o atual governador no Senado. Após a posse no Buriti, Costa se tornou assessor especial do socialista, até assumir a Assessoria de Mobilização.


Em maio de 2016, deixou o cargo e passou pela Subsecretaria de Ordenamento das Cidades, da Secretaria de Gestão do Território e Habitação. Mesmo fora da equipe de mobilização, Costa continua a ser um seguidor fiel de Rollemberg nas mídias sociais.

 

Em julho do ano passado, a Assessoria de Mobilização foi assumida por José Messias da Silva, que seguiu na posição até setembro, quando a área foi reformulada pelo Decreto n° 37.627. Com a mudança na estrutura, a equipe ganhou o nome de Coordenação de Mobilização, vinculada diretamente à Governadoria do DF. No dia de publicação do decreto, Ozimpio de Sousa foi nomeado para coordenar o setor.

 

Defensor ferrenho do governador, Ozzy é um dos responsáveis por puxar os gritos de apoio e aplausos por onde Rollemberg passa, principalmente nas agendas externas. Também atua na internet, deixando postagens positivas em reportagens, respondendo comentários negativos e divulgando ações do governo.

 

Ozzy comenta e contesta as críticas. Em eventos externos, comanda a mobilização de público e tenta fazer contatos para garantir uma quantidade satisfatória de pessoas na plateia, já que evento vazio é sinônimo de baixa popularidade e alta rejeição. Além disso, organiza agendas e coordena a equipe, que possui sala em um dos anexos do Palácio do Buriti. Para exercer a tarefa, recebe um salário de R$ 10.351,54.

 

Natural de Monte Carmelo (MG) e formado em Letras por uma faculdade particular da cidade, Ozimpio se apresenta como “multitarefa”. Jornalista, palestrante, mentor político, assessor de comunicação, poeta, músico e coach pessoal estão entre as atividades exercidas pelo vascaíno fanático.

 

Eleições
A relação próxima entre Ozimpio e Rollemberg teve início durante a campanha de 2014. Ozzy veio à capital federal para fazer um mestrado em literatura pela Universidade de Brasília (UnB). Aqui, se filiou ao PSB-DF e participou da corrida ao Buriti como integrante da equipe de comunicação.

 

À época, divulgava vídeos em que mostrava a rotina do então candidato ao GDF. Estava sempre ao lado de Rollemberg, registrando seus passos com uma câmera fotográfica.

 

Em janeiro de 2015, após a posse do companheiro de legenda, Ozimpio foi nomeado para um cargo de assessor especial na Governadoria do DF até assumir, em setembro do ano passado, a Coordenação de Mobilização. A partir de então, intensificou sua presença ao lado de Rollemberg.

 

Recentemente, durante a discussão sobre a transformação do Hospital de Base em instituto, Ozzy usou a internet para reforçar o coro a favor da mudança e criticar supostas “tentativas de sabotagem” por sindicalistas.

 

“Os donos dos sindicatos da Saúde estão mentindo descaradamente sobre o Hospital de Base. Eles sabem que, com a criação do instituto, o atendimento vai melhorar rápido e é isso que eles não querem”, disse em um texto divulgado no WhatsApp. No dia da votação do projeto na Câmara Legislativa, acompanhou a sessão da galeria e, ao fim, publicou um vídeo comemorando a aprovação da proposta.

 

Carreira solo
Além do cargo comissionado, Ozimpio tem investido na carreira de coach profissional. Na internet, oferece serviços de acompanhamento pessoal para “líderes, empresários e empreendedores”. Na página que mantém na web, afirma que pode ajudar os clientes a criar um planejamento para o alcance de objetivos e se rotula como “especialista em gente”.

 

Também no site, cita a trajetória de Rollemberg ao Buriti como um case de sucesso: “Destaque para a campanha ao Governo de Brasília, em 2014, quando sua equipe venceu o prêmio internacional de melhor campanha no segmento digital para o candidato menos cotado à época, hoje governador Rodrigo Rollemberg”.

 

Outro lado
Ao Metrópoles, Ozimpio Dias de Sousa afirmou que a Coordenação de Mobilização atua na interação do governo com líderes comunitários para eventos da Governadoria. “Temos um amplo cadastro que mantemos sempre atualizado. Por exemplo, se vai ter um evento na área de habitação, acionamos lideranças locais e presidentes de associações. Se o governador for a determinada localidade, nosso pessoal vai convidar essas lideranças e as pessoas para estarem presentes e prestigiarem a visita.”

 

O coordenador também confirmou a atuação do grupo nas mídias sociais, mas afirmou que as intervenções na internet têm caráter institucional. “Participamos de grupos de lideranças políticas e militantes de áreas específicas. Conversamos com eles pelas redes sociais. Excepcionalmente, defendemos o governo, sim”, disse.

 

"Se tem uma mentira rodando e temos informação institucional e oficial para divulgar, respondemos. Não é uma defesa pessoal do Rollemberg. Mas se o governador estiver institucionalmente envolvido, a gente pode até fazer a defesa dele nas redes sociais"
Ozimpio Dias de Sousa, titular da Coordenação de Mobilização do GDF


Por fim, Ozzy afirma que suas manifestações elogiosas sobre o chefe têm caráter pessoal e não estão relacionadas com o trabalho desempenhado no GDF: “Eu sou cidadão e também me manifesto nessa condição. No meu telefone pessoal, divulgo minha opinião. Não falo em nome do governo”.

 

Por meio de nota, o GDF explicou que a Coordenação de Mobilização “representa o governo nos principais fóruns do Distrito Federal, presenciais ou na internet, orientando a comunidade quanto à atuação dos órgãos do Executivo e ao encaminhamento de demandas”.

 

O Buriti admite que a equipe atua para garantir que “informações relevantes cheguem aos líderes comunitários e aos formadores de opinião, dando, assim, mais efetividade às políticas públicas”.

 

Fonte: *Por:Manoela Alcântara/Pedro Alves/Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS