compartilhar

APOSENTADORIAS: Saída de pessoas do mercado de trabalho reduz desemprego na Grande Brasília

O número total de desempregados foi estimado em 329 mil em junho, redução de nove mil pessoas em relação ao mês anterior

A taxa de desemprego no Distrito Federal em junho registrou uma pequena redução. Porém, não há muito o que comemorar.

Os números mostram que a queda é resultado da saída de brasilienses do mercado de trabalho seja por aposentadoria ou por terem desistido de procurar uma vaga.

Segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), de maio para junho deste ano, esse grupo teve crescimento de 15 mil pessoas.


Por conta dessa saída, junho foi o terceiro mês consecutivo em que o desemprego no Distrito Federal diminuiu, com 0,5 ponto percentual a menos em relação a maio, passando de 20,4% em maio para os atuais 19,9%.

O número total de desempregados foi estimado em 329 mil, redução de nove mil pessoas em relação ao mês anterior.

A construção civil (mais 4 mil pessoas), indústria de transformação (2 mil), comércio (3 mil) e administração pública (3 mil) apresentaram novos postos de trabalho. Por outro lado, o segmento de serviços teve diminuição, com 10 mil empregos a menos.

 

Desempenho anual
Além da variação mensal, a PED mede as mudanças das taxas anuais, de junho de 2016 para o mesmo mês deste ano. Nesse período, o nível de ocupação aumentou com 46 mil postos de trabalho a mais que em 2016.

Apesar disso, o desemprego teve um aumento ainda maior no mesmo tempo, com um contingente de 50 mil pessoas a mais. Isso é resultado do crescimento da população economicamente ativa no mercado de Brasília, com incremento de 96 mil trabalhadores. A quantidade de postos extras não foi suficiente para suprir essa demanda.

Entre maio de 2016 e maio de 2017, o rendimento médio real aumentou entre os ocupados (2,9%) e os assalariados (6,7%), e reduziu-se entre os trabalhadores autônomos (-10,5%). 

 

COMENTÁRIOS