compartilhar

CRISE NA UNIVERSIDADE: Corte de gastos na UnB chega ao Restaurante Universitário

Mudanças no cardápio incluem redução de porções e exclusão de itens como azeite e palitos de dente

O corte de gastos que tem causado a revisão de contratos da Universidade de Brasília (UnB) já tem um novo alvo: o Restaurante Universitário (RU).

Na sexta-feira (4/8), a instituição anunciou mudanças nos cardápios do café da manhã, almoço e jantar.

 

As alterações incluem redução de porções, troca de ingredientes e até o fim do fornecimento de itens como azeite e palitos de dente.

As mudanças começam na próxima segunda-feira (7) e atingem principalmente o café da manhã oferecido no refeitório.

 

Com o novo cardápio, deixam de ser oferecidos chá, suco, sachê de margarina ou geleia, e iogurte.

Também foram reduzidas as porções de pão (de três, para duas unidades) e de fruta (de 200g a 350g para 120g). Segundo a universidade, o custo da refeição, que ficava entre R$ 8,74 e R$ 9,42 vai cair para R$ 6,99.

No almoço e no jantar, o cardápio segue parecido, mas com duas principais mudanças: a inclusão de hambúrguer e almôndega caseiros, além de partes menos nobres, como rabo bovino e costela no prato principal. O azeite e os palitos de dente, que eram oferecidos aos usuários, também serão cortados.


 

Em épocas de pico, o Restaurante Universitário da UnB serve, em média, 10 mil refeições por dia. Atualmente, os alunos pagam R$ 2,50 por prato.

 

O resto dos custos é subsidiado com recursos da universidade. O anúncio das alterações foi feito por meio das redes sociais do RU e foi criticado por usuários. Na noite desta sexta (4), a postagem foi apagada.

Confira abaixo:

 

Acionada pelo Metropoles, a UnB confirmou que a mudança no cardápio do RU é uma das medidas tomadas pela administração por conta da crise orçamentária que afetou a universidade. De acordo com a UnB, as alterações trarão economia de 15% nas refeições. A expectativa é de que seja gerada uma economia de cerca de R$ 3 milhões até dezembro. Segundo a instituição, nenhum dos funcionários do RU foi demitido.

A universidade afirma ainda que, “para chegar à economia de 15% no valor do contrato, a administração do RU realizou uma série de estudos nutricionais e de possíveis impactos na adequação do cardápio. A administração empenhou-se em garantir que não houvesse prejuízo nutricional aos usuários, ou seja, continuaremos oferecendo uma alimentação de qualidade, com algumas diferenças quantitativas”.

Demissões
As alterações no Restaurante Universitário são os mais recentes reflexos da crise orçamentária que atingiu a Universidade de Brasília neste ano. Os recursos previstos para a instituição sofreram corte de 45% e a reitoria foi obrigada a rever as contas. Devido à nova realidade, a instituição elaborou um relatório que previa cortes na ordem de 25% em contratos vigentes de terceirizados, que atualmente representam 75% dos gastos da universidade.


No mês passado, pelo menos 245 funcionários que prestam serviços de recepção, portaria e limpeza à UnB receberam aviso prévio das empresas onde trabalham. Na última terça-feira (2), membros do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub) fizeram uma paralisação de 24 horas e manifestaram em frente à reitoria contra o corte de gastos.


Nesta sexta-feira (4), a Central Única dos Trabalhadores de Brasília (CUT-Brasília) também lançou a campanha #SomosTodosUnB, que pretende organizar atos contra a precarização das condições da universidade.

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS