compartilhar

PARALISAÇÃO DE TERCEIRIZADOS: Greve dos vigilantes já afeta visitação nos hospitais da Grande Brasília

No HRAN, portas da emergência estão fechadas. Em outras unidades de saúde, visitas foram suspensas ou ficaram com horários mais restritos

A greve dos vigilantes terceirizados que atuam nos hospitais, centros de saúde e escolas públicas do Distrito Federal já afeta a vida da população.

 

A Secretaria de Saúde precisou encurtar os horários de visitação em alguns hospitais e até suspender em outros.

Cerca de 3,5 mil vigilantes, segundo o sindicato da categoria, estão de braços cruzados deste terça-feira (8/8) e assim prometem ficar até que os salários sejam regularizados.

 Greve dos vigilantes já afeta visitação nos hospitais do DF

No Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), por exemplo, foi preciso acionar a Polícia Militar para fazer a segurança do ambulatório e pronto-socorro.

Os horários de visita também foram modificados na unidade de saúde – das 15h às 17h -, com limite de três visitantes por paciente.

 

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o centro cirúrgico funcionam com horário normal, das 16h às 17h, sendo um visitante por paciente. Nos Hospitais Regionais de Taguatinga e Samambaia, as visitas foram suspensas.

 

No Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), as portas da emergência estão fechadas. Segundo a Secretaria de Saúde, a decisão foi tomada por “medida de segurança”. Dessa forma, os próprios funcionários estão na entrada do pronto-socorro recebendo os pacientes e os encaminham para o setor de classificação de risco.

Ainda de acordo com a pasta, o repasse para as empresas que contrataram os vigilantes está atrasado desde junho. A dívida é de R$ 25 milhões. “Aguardamos recursos para a realização do pagamento aos prestadores de serviço. A previsão é de que até a situação seja regularizada até a próxima semana”, informou a secretaria.

 

COMENTÁRIOS