compartilhar

"MORAR BEM": Mais de 30,5 mil escrituras foram entregues no Distrito Federal desde 2015

Número é contabilizado desde o início desta gestão. Quantidade é pouco menos da metade do total entregue por todos os governos anteriores somados — 63 mil documentos da fundação da cidade até 2014

Moradores de Planaltina receberam 944 escrituras nesta quarta-feira (23) e foram incluídos no processo de regularização fundiária vigente no Distrito Federal.

Desde 2015, distribuíram-se 30.586 documentos.

A intenção é terminar a gestão com a distribuição de cerca de 63 mil documentos, equivalente ao que foi entregue em toda a história do Distrito Federal.

“Desde que eu vim aqui pela primeira vez, como deputado distrital, a regularização fundiária era o sonho da população. Não pude realizá-lo como distrital nem como senador, mas posso realizar e estou realizando como governador”, disse Rodrigo Rollemberg.


A cerimônia de hoje ocorreu no Setor Residencial Leste, um dos quatro bairros beneficiados. Os outros três são Setor Residencial Norte, Vila Vicentina e Vila Nossa Senhora de Fátima.

Para Maria do Socorro Alves, de 73 anos, é o fim da espera de quase 50 anos. “Nunca tive casa própria. É uma emoção tão grande que ninguém pode imaginar o que estou sentindo”, disse.


Outra pessoa que saiu com o documento definitivo de posse do seu lote foi o autônomo Carlos Henrique Lourenço, de 61 anos. “Estamos no mesmo lote há 32 anos. É um alívio muito grande ser o dono de fato do lugar onde eu moro”, afirmou ao lado da esposa, Vecelina Rodrigues Lourenço, de 57 anos.

O governador destacou algumas obras do governo que estão em andamento em Planaltina, como a construção de uma nova delegacia, de duas unidades básicas de saúde, de uma vila olímpica e do complexo cultural. Ele falou também da pavimentação, do asfaltamento e do recapeamento de algumas vias da região.

Famílias com até três salários mínimos não pagam lavratura em cartório

A escritura, oferecida de forma gratuita para famílias com renda de até três salários mínimos, é emitida na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab). Isso significa uma economia para o beneficiário de R$ 718, valor pago atualmente pela lavratura em cartório.

Após receber o documento, é necessário apenas pagar a taxa obrigatória no Cartório de Registro, que varia de R$ 300 a R$ 600.

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, um dos cinco eixos de atuação do "Habita Brasília", programa habitacional do governo do Distrito Federal.

 

COMENTÁRIOS