compartilhar

PROBLEMA NO CORAÇÃO: Bebê de 19 dias luta contra o tempo à espera de leito no INCor

A família do pequeno Arthur Henrique Behr vive um drama desde o nascimento dele há 19 dias. Isso porque o bebê nasceu com a síndrome de hipoplasia do coração, que provoca a má formação do órgão.

 

Internado desde então na UTI do HMIB, apenas uma cirurgia de emergência pode mudar o quadro clínico de Arthur, que atualmente sobrevive com ajuda de aparelhos e medicamentos. Sem dinheiro para pagar o procedimento, a família entrou na Justiça para forçar a Secretaria de Saúde a custear o tratamento.


No dia 11 de agosto, uma sentença favorável ao pedido da família trouxe um alento ao coração dos familiares.

 

A tranquilidade, no entanto, durou pouco, pois a Secretaria de Saúde não cumpriu a determinação alegando que não há vaga no INCor, local que teria a estrutura necessária para a realização da cirurgia do bebê.

Na decisão, a magistrada Mara Silda Nunes de Almeida determina que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal deverá custear a remoção, o tratamento, os medicamentos e o que mais for necessário para a plena recuperação de Arthur.

A ordem determina que a pasta promova o cumprimento da decisão em 24 horas, uma vez que a doença que acomete Arthur “possui percentual de mortalidade de 95%, cardiopatia complexa e grave risco de piora súbita e morte. Apesar disso, 12 dias depois da decisão, nada foi feito.


A saúde, por sua vez, afirmou que “enquanto aguarda a vaga, Arthur permanece internado na UTI neonatal do Hospital Materno Infantil, recebendo a assistência necessária ao quadro de saúde que apresenta.”

Enquanto espera, o pai do pequeno Arthur, Henrique Behr criou um abaixo assinado virtual que já reúne quase três mil assinaturas. “Meu filho tem menos chance a cada dia. O governo vê isso e não faz nada”, lamentou.

 

Com informações de João Paulo Mariano


 

Fonte: *Via JBr/Clipping

COMENTÁRIOS